Paes se reúne com comando do Estado Maior da PM em primeiro dia de campanha

Na Baixada Fluminense, candidato do DEM encontrou comandante do Estado Maior da PM e do comandante do 3º Comando de Policiamento de Área, responsável pela unidade de policiamento de toda a Baixada Fluminense

Por O Dia

Eduardo Paes (DEM) se reuniu com a cúpula da polícia
Eduardo Paes (DEM) se reuniu com a cúpula da polícia -

Rio - O candidato ao Governo do Estado do Rio, Eduardo Paes (DEM), participou de reunião com o comandante do Estado Maior da PM, Coronel Henrique Pires, e do comandante do 3º Comando de Policiamento de Área (CPA), Coronel Sérgio do Carmo Schalioni, responsável pela unidade de policiamento de toda a Baixada Fluminense, no primeiro dia de campanha eleitoral.

Paes ressaltou que vai trabalhar para estabelecer um modelo de policiamento e combate à violência no estado que privilegie ações preventivas e cirúrgicas de inteligência em vez de 'confrontos armados diários que assolam atualmente o Rio'.

O ex-prefeito do Rio disse que se for eleito não vai dispensar a ajuda permanente das Forças Armadas como auxiliar na segurança pública do Rio, especialmente na Baixada Fluminense e Região Metropolitana. 

" A gente tem clareza de que essa é uma área que tem que intervir de maneira muito forte e contundente e assumir o comando da segurança pública, mantendo as forças armadas nos auxiliando durante os quatro anos de governo. Isso será um pedido que eu farei pessoalmente, quando terminar a intervenção. As Forças Armadas têm um papel importante a cumprir", disse.

O candidato do Democratas reforçou que, dentro deste trabalho de inteligência, uma das metas é “reduzir drasticamente a violência nas ruas, principalmente os indicadores de roubos e homicídios, desenvolvendo um novo sistema de policiamento ostensivo mais voltado para a mancha de segurança, colocando mais efetivo nesse trabalho”.

"Tem que, urgente, ter um novo modelo de inteligência que permita que a gente possa, nestes conflitos armados em áreas dominadas pelo crime organizado, agir de maneira mais preventiva e cirúrgica", salientou.

Para combater a corrupção policial e penitenciária, Paes defendeu a atuação de uma Corregedoria independente, ligada diretamente ao gabinete do governador e trabalhando com o Ministério Público Federal e a Polícia Federal.

Últimas de Rio de Janeiro