Porta-voz do CML dá detalhes das mortes na operação das Forças Armadas em São Gonçalo

Coronel Cinelli considerou positiva a ação que teve ainda 12 presos, além de um fuzil, seis pistolas, 12 veículos e três embarcações apreendidas

Por Agência Brasil

Militares checaram antecedentes criminais de quem entrava ou saía da comunidade
Militares checaram antecedentes criminais de quem entrava ou saía da comunidade -

Rio - O porta-voz do Comando Militar do Leste (CML), o coronel Carlos Cinelli, fez um balanço positivo da operação realizada nesta terça-feira pelas Forças Armadas no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do estado. A ação na comunidade que fica às margens da Baía de Guanabara acabou com duas mortes, 12 presos e diversas apreensões.

"Os objetivos foram cumpridos. É importante entender que, nesses momentos de operação de grande envergadura, (o serviço) de inteligência está sempre coletando informações para abastecer o banco de dados e isso faz com que o Estado possa se fazer presente", o coronel Cinelli avaliou.

O porta-voz do CML informou que, na chegada das tropas ao Salgueiro, quatro homens atacaram os militares. "Houve reação e um dos criminosos acabou ferido e morreu. Os outros três bandidos conseguiram escapar", contou.

O coronel disse ainda que em outro momento da operação "um homem de carro tentou furar um duplo bloqueio, jogando os carros em cima dos militares e como não obedeceu à ordem de parar, os militares atiraram nos pneus e, em seguida, atiraram no homem, que acabou morrendo na hora".

Cerco pelo mar

Mais de 2 mil militares participaram da ação - Estefan Radovicz / Agência O Dia

A Marinha participou da operação com um cerco na Baía de Guanabara, para onde os criminosos do Complexo do Salgueiro poderiam tentar escapar pelo mar. Foram utilizados dois navios, além de 10 embarcações, entre elas, uma lancha blindada, com apoio da Polícia Federal no bloqueio e cerco naval na área de mar vizinha ao complexo.

Os militares também vasculharam três ilhas no entorno da Baía à procura de fugitivos. Durante a busca, nenhum suspeito foi localizado.

A Marinha ainda abordou 27 embarcações e apreendeu três lanchas, uma delas com três criminosos, presos após perseguição pelo mar.

Balanço final

O Comando Militar do Leste considerou a operação um sucesso - Estefan Radovicz / Agência O Dia

Mais de 2,5 mil militares participaram do cerco das Forças Armadas à comunidade. A ação terminou no final da tarde. O balanço final divulgado pelo CML informou a morte de dois homens e a prisão de mais 12, além de um fuzil, seis pistolas, 21 carregadores, 600 munições, 14 veículos (dentro carros e motos) e três embarcações apreendidas.

Também foram feitas mais de 4,5 mil revistas e checagem de antecedentes criminais e retiradas 11 barricadas armadas pelo tráfico de drogas. Elas impediam a entrada das forças de segurança na região.

Galeria de Fotos

Militares checaram antecedentes criminais de quem entrava ou saía da comunidade Estefan Radovicz / Agência O Dia
O Comando Militar do Leste considerou a operação um sucesso Estefan Radovicz / Agência O Dia
A operação desta quarta envolveu mais de 2,5 agentes Estefan Radovicz / Agência O Dia

Últimas de Rio de Janeiro