Oito internos fogem de unidade do Degase em Bangu

Os menores serraram as grades de uma das janelas da cela que ocupavam

Por O Dia

Parte da grade uma das janelas da cela que ocupavam foi serrada
Parte da grade uma das janelas da cela que ocupavam foi serrada -

Rio - Oito menores infratores que cumpriam medida de internação socioeducativa no Educandário Santo Expedito, unidade do Degase em Bangu, conseguiram fugir do local nesta sexta-feira. A unidade fica no complexo de Gericinó, na Zona Oeste. A fuga aconteceu de madrugada e foi possível após os internos serrarem as grades de uma das janelas da cela em que estavam.

De acordo com o Sindicato dos Servidores do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Sind-Degase), após retirarem a grade da janela, oito dos nove internos que ocupavam o local se jogaram de uma altura de cinco metros, deixando chilenos e partes das roupas para trás. O nono não fugiu porque não conseguiu passar pela abertura na grade.

Após saírem da cela, eles escalaram uma grade de proteção e um muro com uma cerca cortante, onde chegaram até um segundo muro, na entrada da unidade. Os internos, então, subiram por uma escada até a guarita de vigilância e conseguiram passar por mais uma cerca cortante que fica no topo do muro, conseguindo, assim, chegar na rua.

Os fugitivos pularam de uma altura de cinco metros - Divulgação / Sind-Degase

Ainda segundo o Sind-Degase, toda a ação durou poucos minutos e os agentes de segurança da unidade não conseguiram impedir a fuga. Até agora, os menores não foram capturados e o registro da ocorrência foi feito na delegacia do bairro 34ª DP.

Os menores escalaram muros com cerca cortantes - Divulgação / Sind-Degase
Eles deixaram pertences pessoais para trás - Divulgação / Sind-Degase

Galeria de Fotos

Parte da grade uma das janelas da cela que ocupavam foi serrada Divulgação / Sind-Degase
Os fugitivos pularam de uma altura de cinco metros Divulgação / Sind-Degase
Os menores escalaram muros com cerca cortantes Divulgação / Sind-Degase
Eles deixaram pertences pessoais para trás Divulgação / Sind-Degase

Últimas de Rio de Janeiro