Mototaxista preso injustamente é solto

Ele foi acusado de roubo à mão armada; esta é a segunda vítima em menos de 15 dias

Por O Dia

A Cadeia de Benfica é uma das unidades prisionais do Rio. Hoje, em todo o Brasil, há 726 mil presos
A Cadeia de Benfica é uma das unidades prisionais do Rio. Hoje, em todo o Brasil, há 726 mil presos -

Rio - O mototaxista Victor Everton de Carvalho Mendes, de 30 anos, foi solto na manhã desta quarta-feira após ficar preso injustamente na Cadeia de Benfica, Zona Norte do Rio. Este já é o segundo caso em menos de 15 dias. Victor Everton foi acusado de roubo à mão armada.

De acordo com a Polícia Civil, ele foi reconhecido por cinco vítimas e, por isso, teve o pedido de prisão acatado pela Justiça. Ele teria roubado o equivalente a R$ 40 mil do caixa de uma empresa de TV a cabo em julho de 2017. A Justiça, no entanto, revogou a sua prisão preventiva nesta terça-feira.

Na decisão, o juiz Francisco Emilio de Carvalho Posada, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Nova Iguaçu, explicou que a decretação da prisão preventiva "foi descabida, devida à falta de atenção na fase de investigação". Ainda segundo ele, não teriam sido conduzidos os elementos mínimos de suporto à instauração de processo criminal contra o mototaxista, o que, para ele, justificava uma revisão do ocorrido.

O magistrado concluiu que não havia justificativas suficientes que o mantivessem preso. "Veja-se, portanto, que os reconhecimentos fotográficos se deram por vítimas que afirmaram ter visto o réu apenas de boné e óculos escuros. Acresça-se a isso o fato de que aqueles que a princípio figuraram como possíveis envolvidos em sede policial (dois ex-funcionários e o ora acusado), não foram intimados para prestar declarações. Mesmo de posse do número de telefone dos envolvidos, nenhuma diligência foi realizada para saber se houve comunicação entre eles no dia do roubo ou quais eram suas localizações na data e hora dos fatos", destacou.

Ainda segundo o juiz, faltou confrontar as imagens recebidas do crime com fotografias dos envolvidos no caso. "Sobreleva ressaltar que o homem baixo, negro e gordo que aparece nas imagens constantes da mídia de fls. 17v, apesar de ter o mesmo tipo físico genérico, não se assemelha ao réu, o que também poderia ter sido esclarecido na fase de investigação", ressaltou o magistrado ao rejeitar liminarmente a denúncia contra o mototaxista.

Outro caso de prisão equivocada

Na última quinta-feira, Leonardo Nascimento, de 27 anos, foi solto após ficar uma semana na Cadeia de Benfica, na Zona Norte do Rio. Ele foi acusado pelo assassinato do estudante de Psicologia Matheus dos Santos Lessa. Na ocasião, o estudante se jogou na frente da mãe para evitar que ela fosse baleada durante um assalto ao mercado da família em Guaratiba, na Zona Oeste da cidade.

A família e amigos protestavam desde a sua prisão, alegando a sua inocência. Câmeras que ajudariam a provar a sua inocência foram conseguidas pelos familiares e apresentada à polícia. O delegado Evaristo Pontes, da Delegacia de Homicídios da Capital (DH-Capital), voltou atrás ao apontar Leonardo como o autor e foi, pessoalmente, ao Tribunal de Justiça (TJRJ) pedir a sua soltura.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários