Familiares denunciam que PMs atiraram em jovem que morreu em Caxias

Bruno Soares tinha 21 anos, era especial e foi morto na comunidade Parque das Missões, onde morava

Por Raimundo Aquino

Bruno tinha dois filhos pequenos
Bruno tinha dois filhos pequenos -

Rio - Familiares de Bruno Soares, de 21 anos, denunciam que policiais militares do 15º BPM (Duque de Caxias) foram os responsáveis pela morte do jovem. Morador da comunidade Parque das Missões, Bruno foi atingido por tiros na tarde desta quarta-feira, no bairro do município da Baixada Fluminense. Ele, que era especial, teria se assustado com disparos feitos pelos agentes.

"Estava em casa quando um outro sobrinho passou correndo avisando que policiais tinham dado tiros e o Bruno tinha sido atingido", relembra uma tia, que preferiu não se identificar. "Quando cheguei em um beco onde estava o corpo dele, pedi aos policiais para vê-lo e não deixaram, dizendo que não tinha nada ali".

A tia diz que a mãe de Bruno estava trabalhando e encontrou com o ex-padrasto dele, que teria conseguido dar a volta na rua e visto o corpo do jovem. "Ele voltou chorando com a mão na cabeça, dizendo que haviam matado o Bruno", conta.

O corpo de Bruno foi colocado na caçamba de uma viatura - Reprodução / Internet

Tiros na multidão

Ela afirma que o sobrinho teria sido baleado quando os policiais atiraram repentinamente contra um grupo. Quando perceberam que Bruno havia sido atingido, moradores cercaram os agentes falando que ele não tinha nenhum envolvimento com o crime.

Em um vídeo que circula na Internet é possível ver os moradores reclamando com os PMs, que colocam o corpo de Bruno na caçamba de uma viatura. Nas imagens é possível ouvir também tiros sendo disparados quando a viatura deixa o local. "Eles atiraram falando que era para dispersar a multidão", a tia avisa.

Moradores acusam PMs pela morte do jovem - Reprodução / Internet

Trabalhador

A familiar lamenta o que aconteceu com o sobrinho, dizendo que ele tinha dois filhos, um bebê de um ano e uma menina de três anos e fazia vários bicos. "O Bruno era um menino que sempre fazia algum trabalho. Ele carregava água para as pessoas, ia na feira de automóvel para ajudar lá. Apesar do problema dele, ele era muito esforçado", conta, bastante emocionada.

Até o fim da manhã desta quinta, o corpo de Bruno estava no IML de Caxias. Os familiares estavam aguardando a autópsia para confirmar a data do sepultamento, que será feito no Cemitério do Caju, na Zona Norte da capital.

Procurada pelo DIA sobre as denúncias dos familiares dos tiros dados tanto contra Bruno quanto no momento em que deixavam a comunidade, a Polícia Militar se limitou a dizer que os agentes do 15º BPM estavam fazendo um patrulhamento na região quando foram recebidos a tiros por bandidos. "Na ação duas pessoas foram atingidas e socorridas ao Hospital Municipal Moacyr do Carmo. Um revólver cal. 38 foi apreendido, além de material entorpecente a ser contabilizado", informou, através de nota, sem dar mais detalhes.

Galeria de Fotos

Bruno tinha dois filhos pequenos Arquivo Pessoal
Moradores acusam PMs pela morte do jovem Reprodução / Internet
O corpo de Bruno foi colocado na caçamba de uma viatura Reprodução / Internet
Beneficiários de pensão só serão chamados ao posto do INSS se houver distorção nos documentos Luciano Belford / Agencia O Dia

Comentários