'Estamos na luta, mas vai dar tudo certo', diz pai de jovem baleada na Mangueira

Marco Antonio Gomes contou que Lorena perdeu muito sangue e que se recupera para fazer nova cirurgia, prevista para sexta-feira, e Hemorio recebe doação para a estudante. Pai agradece socorro rápido feito por rapaz: 'Foi um herói'

Por ADRIANO ARAÚJO

Lorena Quintal Gomes foi vítima de bala perdida na Mangueira. Ela fez 18 anos em dezembro passado
Lorena Quintal Gomes foi vítima de bala perdida na Mangueira. Ela fez 18 anos em dezembro passado -
Rio - O disparo de fuzil que atingiu Lorena Quintal Gomes, de 18 anos, dentro da casa de uma amiga na Mangueira atravessou um portão, perfurou o braço do sofá em que ela estava e atingiu as duas pernas da estudante, que tinha acabado de ser liberada do Ciep Nação Mangueirense por conta de confrontos entre criminosos e policiais. O pai da jovem, Marco Antonio Gomes, disse que a bala perdida provocou um "estrago", mas que a filha está "forte" e a família acredita na recuperação dela. 
"Foi tiro de fuzil, fez um estrago enorme nas pernas delas, perto do fêmur, a perna direita foi a mais atingida. Ela teve que fazer restauração do osso do fêmur, dos vasos da parte vascular das duas pernas, perdeu massa muscular. Se não fosse a ajuda de um rapaz, que ajudou a trazer rápido, poderia ser pior. Ela teve uma perda de sangue muito grande", disse o servidor público.
A menina se recupera de uma anemia e recebe transfusão de sangue para se recuperar e realizar uma nova cirurgia para a implantar placas para auxiliar na recuperação óssea, que deve acontecer na próxima sexta-feira.
O técnico de produção em saúde conta que a filha foi liberada por volta das 10h do Ciep Nação Mangueirense por conta de um intenso tiroteio no Morro da Mangueira. No caminho, o confronto, que tinha cessado, recomeçou. 
"Elas atravessaram o viaduto em direção ao morro e começou de novo o tiroteio. Só deu tempo delas com as amigas entrarem na casa da menina. Elas fugiram de uma situação, foram para um local fechado e aconteceu isso", lamenta.
Lorena está internada no Hospital Souza Aguiar, no Centro, e as doações de qualquer tipo sanguíneo para ajudá-la podem ser feitas no Hemorio, na Rua Frei Caneca, também no Centro. O doador deve informar o nome da jovem no momento da doação. 
"Ela pensa que sobreviveu, pois é bem magrinha. Escapou da morte, pela perda de sangue, tinha muito sangue no local, no caminho. Ela disse que só percebeu que levou o tiro porque começaram a gritar. As amigas ouviram a rajada, o barulho, e ela se tocou que a ferida era nela. Só depois viu o estrago nas pernas", contou o pai.
Jovem quer ser engenheira mecânica
Com 18 anos completados em dezembro do ano passado, Lorena está cursando o último ano do ensino médio. Os preparativos para o vestibular miravam a carreira de engenheira mecânica, mas o objetivo terá que ser adiado. 
"Ela agora tem um ano perdido, a recuperação será um pouco lenta. Agora é focar na vida e seus movimentos fazer fisioterapia. Ela é muito forte, ainda vai ter uma luta bem grande pela frente", acredita o pai.
Pai agradece 'herói' que socorreu filha
Marco Antônio colocou como obrigação reencontrar o tio de uma das amigas da filha que a socorreu. O rapaz não tinha saído de casa para trabalhar por causa do tiroteio, mas não pensou duas vezes na hora de levar a menina para o hospital.
"Ele queria sair para trabalhar e não conseguia por causa do tiroteio. Acabou que saiu ainda sob confronto para ajudar a salvar a minha filha. Ele foi um herói, se ele não fizesse isso, talvez não estivesse aqui com a minha filha", agradece o pai.  
A operação policial na Mangueira, realizada pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) e a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local, terminou com quatro suspeitos presos e armas apreendidas. Segundo a Secretaria da Polícia Militar, "posteriormente, UPP Mangueira foi informada sobre a entrada da vítima, por meios próprios, no Hospital Municipal Souza Aguiar".
Procurada, a Polícia Civil disse que, de acordo com a 17ª DP (São Cristóvão), o caso foi registrado e todas as diligências estão sendo realizadas para apurar as circunstâncias do ocorrido.
Material apreendido pela PM durante ação na Mangueira - Divulgação / Polícia Militar

Galeria de Fotos

Lorena Quintal Gomes foi vítima de bala perdida na Mangueira. Ela fez 18 anos em dezembro passado Reprodução Facebook
Material apreendido pela PM durante ação na Mangueira Divulgação / Polícia Militar

Comentários