'Meu filho morreu', diz pai de menino vítima de bala perdida na Vila Aliança

Ele afirmou que a família pretende doar os órgãos de Kauã Vítor Rozário, de 11 anos: 'Nossa família está muito dolorida', disse o pai, Jocelyr do Rozário. Ontem, a Secretaria Municipal de Saúde abriu um procedimento para confirmar o óbito

Por ADRIANO ARAÚJO

Kauã foi atingido quando passava de bicicleta pela Estrada do Engenho, na Vila Aliança
Kauã foi atingido quando passava de bicicleta pela Estrada do Engenho, na Vila Aliança -
Rio - O pai do menino Kauã Vítor Rozário, de 11 anos, confirmou na manhã desta quinta-feira a morte cerebral da criança, vítima de bala perdida quando andava de bicicleta no último sábado na Vila Aliança, em Bangu, na Zona Oeste. Ele afirmou que a família pretende doar os órgãos. Ontem, a Secretaria Municipal de Saúde abriu protocolo para confirmar o óbito da criança, que está no Hospital Albert Schweitzer, em Realengo. 
De acordo com Jocelyr do Rozário Junior, a mãe de Kauã passou mal agora pela manhã ao receber a confirmação do falecimento no hospital. "Meu filho faleceu. Minha esposa está passando muito mal. Foi confirmado e nossa família está muito dolorida", desabafou o pai do menino.
Além da dor da perda, Jocelyr disse que a família ainda tem que lidar com o filho mais novo, de 9 anos, que era muito ligado a Kauã e tem sentido falta dele. "Meu filho está com o psicológico muito abalado, eles só andavam juntos", lamentou.
Em nota, a Secretaria Municipal não confirma a morte cerebral, afirmando a necessidade do procedimento. "O paciente tem um quadro de saúde gravíssimo. Foi aberto um protocolo de morte encefálica", diz.
Tiros também mataram mototaxista
Kauã Rozário foi atingido quando passava de bicicleta pela Estrada do Engenho, quando estava indo para casa. O tiroteio também matou o mototaxista Leonardo Rodrigues dos Santos, de 25 anos. Segundo familiares, ele trabalhava quando, em meio ao tiroteio, acabou sendo baleado. Um terceiro homem não identificado também foi ferido.
Pela versão da Polícia Militar, uma equipe do 14º BPM (Bangu) fazia patrulhamento na comunidade quando homens em motos dispararam contra os policiais. Houve reação. Mas os bandidos, segundo a PM, conseguiram fugir. Foram encontrados no local três pistolas calibre nove milímetros, radiotransmissores e 640 papelotes de maconha.
A ação foi também contestada por moradores da comunidade. Nas redes sociais, eles postaram que os policiais teriam chegado à Vila Aliança efetuando disparos contra homens que estavam numa motocicleta. Revoltados, os moradores fizeram um protesto queimando pneus e outros objetos e cobraram explicações sobre a atuação da equipe do 14º BPM. O caso foi registrado na 35ª DP (Campo Grande).
Em janeiro deste ano, dois outros homens também tinham sido baleados na mesma comunidade durante operação de policiais do 14º BPM. À época, a polícia informou que eles eram suspeitos de envolvimento com o tráfico. Armas e uma granada foram apreendidas na ocasião.

Comentários