BRT começa teste contra calote

Intervenção instalou guarda-corpos no Mato Alto. Especialistas duvidam da eficácia

Por GUSTAVO RIBEIRO

Módulo da estação Mato Alto, sentido Alvorada, será reaberto hoje
Módulo da estação Mato Alto, sentido Alvorada, será reaberto hoje -

Rio - O BRT estreia nesta quarta-feira mais um teste contra calotes. A nova estrutura tem oito pares de guarda-corpos no módulo parador da estação Mato Alto, sentido Alvorada, que será reaberto. A experiência pode ser ampliada para outras paradas.

Para a equipe da intervenção no BRT, a medida evitará a aglomeração de pessoas nas laterais da área de embarque. Com isso, afirmam os profissionais, os caloteiros não conseguirão entrar na frente dos usuários que pagaram passagem. A expectativa é que a iniciativa também iniba a entrada irregular de pessoas quando o ônibus não estiver na plataforma. O sistema sofre 74 mil calotes por dia, um prejuízo de R$ 5 milhões por mês, equivalente a cinco ônibus articulados.

Entretanto, especialistas contestam a eficácia da medida. "As pessoas vão continuar entrando pela parte frontal. E é bem provável que arranquem tudo", avalia Eva Vider, engenheira da Escola Politécnica da UFRJ. Ela sugere transferir as roletas da estação para os ônibus. Ou, ainda, que o sistema do Rio se inspire no de Curitiba, com estações-tubo. "Lá, não existe 'varandinha' para as pessoas escalarem por fora. O ônibus para, abre a porta e, da estação, entra uma rampinha para o ônibus", explica. "Os caloteiros sobem isso aí", reforça o pesquisador Atílio Flegner.

Pedágio suspenso

A Prefeitura do Rio determinou, ontem, a suspensão do pedágio da Linha Amarela, sentido fundão, pela terceira vez em seis meses. O decreto vale por 19 meses. A prefeitura alega que é o tempo necessário para a Lamsa ressarcir aos cofres públicos cerca de R$ 225 milhões cobrados a mais pela empresa em serviços na via. Nas outras vezes, liminares derrubaram a ordem do prefeito. A concessionária vai recorrer e diz que cumpriu as obrigações do contrato.

 

Comentários