Megaoperação contra roubo de cargas e veículos e sequestro prende mais de 25

Um militar do Exército está entre os presos; dois traficantes chegaram a fazer uma família refém para fugir dos policiais

Por RAFAEL NASCIMENTO e RAI AQUINO

Presos chegam à Cidade da Polícia
Presos chegam à Cidade da Polícia -
Rio - Policiais civis da 59ª DP (Duque de Caxias) fizeram, na manhã desta quinta-feira, uma megaoperação contra uma quadrilha especializada em roubo de cargas, roubo de veículos e sequestro em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Foram 26 pessoas presas dentre 34 procuradas, na ação que foi batizada de Operação Caligarium.
Dentre os presos está um militar do Exército, contra quem foi cumprido um mandado de prisão por tráfico de drogas. Há também dois traficantes que fizeram uma família refém, ao tentarem fugir dos policiais. Não havia mandados de prisão da operação contra eles. No entanto, um deles era procurado pelo envolvimento na morte de um PM e o outro foi preso em flagrante.
Os mandados de prisão foram cumpridos cumpridos nas comunidades do Complexo da Mangueirinha (Santuário, Sapo, Corte Oito, Centenário, Favelinha e Mangueirinha). Além disso, um carro e uma moto roubados foram recuperados.
Militar do Exército foi um dos presos - Luciano Belford / Agência O Dia
INVESTIGAÇÕES
De acordo com a Polícia Civil, as investigações para a operação de hoje começaram há cerca de três meses, quando caminhoneiros que foram alvos da quadrilha a 59ª DP. A quadrilha age principalmente nas vias expressas que cortam Caxias, como a Linha Vermelha e a Rodovia Washington Luís (BR-040), para aumentar os lucros do tráfico de drogas das comunidades.
"O tráfico de drogas fomenta outros crimes muito graves, como roubo, roubo a carga, roubo a veículos. Então, como resposta, conseguimos 35 mandados de prisão", conta o delegado André Leiras, titular da 59ª DP, que está a frente da megaoperação.
O delegado conta também que alguns caminhoneiros fazem parte do esquema criminoso. As cargas roubadas são revendidas dentro do conjunto de favelas. Lojistas que não participavam do esquema também eram alvos dos criminosos.
"Essa organização criminosa impunha um verdadeiro terror nos comerciantes. Armados, eles praticavam sequestro, roubo, além do tráfico de drogas. Aliciavam menor de idade não só para vender drogas, como também para combater a polícia", o delegado acrescenta.
Traficantes fizeram uma família refém ao tentar fugir dos policiais - Luciano Belford / Agência O Dia
CRIMINOSOS LIVRES
Ainda segundo as investigações, os membros da quadrilha agiam livremente principalmente porque muitos ainda não tinham passagem pela polícia. Então, quando eram parados em alguma blitz, eram liberados já que não constava nada contra eles no sistema da polícia.
"Esse inclusive era um trunfo dessa organização criminosa, contar com pessoas que não possuíam antecedentes criminais, que podiam circular tranquilamente no município. Utilizamos técnicas de investigação, que irão deflagrar outras etapas para alcançar os médio e alto escalão dessa organização criminosa", Leiras reforça.
As investigações também apontaram que os traficantes fazem extorsão de comerciantes das comunidades. Eles cobram uma espécie de "pedágio" para que eles continuem com seus estabelecimentos abertos.
"São pessoas com expressão na organização criminosa, exerciam inclusive o cargo de liderança no tráfico de drogas", Leiras avisa, sobre alguns presos.
Presos chegam à Cidade da Polícia - Luciano Belford / Agência O Dia
LAVAGEM DE DINHEIRO
A ação de hoje conta com mais de 200 policiais. Eles têm o apoio de um blindado e de um helicóptero. 
Os presos estão foram levados para a Cidade da Polícia, no Jacaré, na Zona Norte da capital. Eles vão responder pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, porte ilegal de armas, organização criminosa, sequestro, dentre outros. Se condenados, podem pegar mais de 30 anos de prisão.
"A Polícia Civil não quer só atingir o traficante varejista, aquele que vende a droga. Temos operação que visa a lavagem do capital para saber quais são as empresas que estão lavando esse dinheiro do trafico. Onde esse dinheiro está sendo empregado? Onde ele está indo parar?", o delegado questiona.
Os procurados na Operação Caligarium - Reprodução
No momento em que os policiais chegaram na região houve disparos de tiros; confira alguns vídeos do tiroteio!

Galeria de Fotos

Presos chegam à Cidade da Polícia Luciano Belford / Agência O Dia
Os procurados na Operação Caligarium Reprodução
Militar do Exército foi um dos presos Luciano Belford / Agência O Dia
Traficantes fizeram uma família refém ao tentar fugir dos policiais Luciano Belford / Agência O Dia
Preso chega à Cidade da Polícia Luciano Belford / Agência O Dia

Comentários