Seis corpos e ossadas são encontradas em cemitério clandestino de milícia da Baixada

Local fica no bairro Babi, em Belford Roxo, área de atuação de um grupo paramilitar

Por O Dia

Cemitério clandestino fica no bairro Nova Aurora
Cemitério clandestino fica no bairro Nova Aurora -
Rio - Uma ação conjunta entre a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), o Ministério Público estadual (MPRJ) e o Corpo de Bombeiros encontrou, nesta quarta-feira, um cemitério clandestino no bairro Babi, em Belford Roxo. A suspeita é de que o local era utilizado para ocultar corpos de vítimas da milícia que atua na região e em Nova Aurora. Até o momento, com a ajuda de cães farejadores, foram encontrados seis corpos, além de ao menos duas ossadas. 
De acordo com o MPRJ, em um primeiro momento, foi possível identificar que alguns dos corpos foram vítimas de violência, pois alguns deles apresentam marcas de tiros, além de membros cortados. Eles serão levados ao Instituto Médico Legal para identificação e perícia.
Cemitério clandestino fica no bairro Nova Aurora - Divulgação / Polícia Civil
Segundo a Polícia Civil, o principal autor das mortes é Junior Galdino Vieira, conhecido como Pará do Mototáxi. Ele foi preso no último dia pela DHBF e é apontado como líder da milícia que age na região, ao lado de Ronald Elias Pereira Valente, o Jaquinha.
Pará vinha sendo investigado em pelo menos 10 homicídios ocorridos nos últimos meses. O miliciano foi capturado em uma loja de telefonia no bairro Nova Aurora, quando tentava desbloquear um aparelho celular.
"Atualmente, ele é o maior homicida de Belford Roxo. Imaginamos que só esse ano tenha praticado uns dez homicídios. Já foi indiciado em três e estamos reunindo informações para indiciar em vários outros", o titular da DHBF, o delegado Moyses Santana, disse no momento da prisão de Pará.

Galeria de Fotos

Cemitério clandestino fica no bairro Nova Aurora Divulgação / Polícia Civil
Cemitério clandestino fica no bairro Nova Aurora Divulgação / Polícia Civil

Comentários