Megaoperação mira traficantes que mataram sete jovens em Brás de Pina

Crime aconteceu no dia 26 de maio e corpos das vítimas foram dados para porcos comerem

Por RAI AQUINO

Operação de ontem teve participação das polícias Civil e Militar
Operação de ontem teve participação das polícias Civil e Militar -
Rio - A Polícia Civil fez, na manhã desta quarta-feira, uma megaoperação contra os traficantes suspeitos de matarem sete jovens na comunidade Cinco Bocas, em Brás de Pina, na madrugada do dia 26 de maio. Todos eles são da Cidade Alta, Parada de Lucas e Vigário Geral, também na Zona Norte do Rio.
Dos 11 envolvidos no crime, quatro já haviam sido presos anteriormente e um morto em confronto com a polícia. Os presos anteriormente tiveram mandados de prisão cumpridos contra eles na cadeia. Dos seis outros procurados, todos continuam foragidos. 
Durante a ação, os PMs trocaram tiros com outros suspeitos que não têm relação com o assassinato dos jovens. Um bandido foi morto e outros dois baleados e presos em flagrante por envolvimento com o tráfico de drogas da região. Dentre eles, Anderson de Oliveira, de 45 anos, foi atingido no tórax e socorrido em estado grave no Hospital Getúlio Vargas (HGV), na Penha. O estado de saúde dele é estável. O outro baleado está custodiado na unidade.
Também foram apreendidos um fuzil calibre 556, uma pistola de uso restrito, cinco granadas, cinco tabletes de cocaína e três radiotransmissores, além de anotações do tráfico de drogas.
"Além disso, os agentes procuram informações e coletam dados de inteligência para auxiliar investigações em andamento sobre os crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico, em relação aos traficantes da facção que domina a venda de drogas na região, com especial atenção para esquemas de lavagem de dinheiro", destacou o titular da 22ª DP, o delegado Fabrício Oliveira.
Blindado da Core participou da ação - Reprodução / Internet
A operação contou com o apoio de diversas delegacias do Departamento Geral de Polícia da Capital (DGPC), de homens da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) - que usaram blindados e aeronaves -, além de PMs do 16º BPM (Olaria).
Além das prisões, também foram cumpridos mandados de busca e apreensão, autorizados pelo Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) na última quinta-feira.
Os suspeitos vão responder pelos crimes de sequestro, execução e ocultação de cadáver, já que os corpos das vítimas foram dados para porcos comerem. Até hoje, os restos mortais delas não foram encontrados.
Os procurados por envolvimento no crime:

. Álvaro Malaquias Santa Rosa, o Peixão, de 33 anos: chefe do tráfico de drogas da Cidade Alta e Paradas de Lucas - FORAGIDO
. Rodrigo Ribeiro da Silva, o Mia, o Geremias ou Rei do Fumo, 35 - FORAGIDO
. Loran de Azevedo Freaza, o Marrom, 26 - FORAGIDO

. Moises Severino da Silva, o Dino, 21 - FORAGIDO

. Edilson Jesus Júnior, o Pirâmide, 26 - FORAGIDO
. Leiton Medeiros da Silva, o Artilheiro, 25 - FORAGIDO
Os presos por envolvimento no crime:
. Rafael Félix da Silva Valadares, o Lulão
. Erick Silva La Rosa, o Ninho
. Thiago Ferreira Rangel e Silva, o Índio
. Alan Pereira da Sivla, o Gordinho
A recompensa para a descoberta do paredeiro dos procurados é de R$ 1 mil - Divulgação / Disque Denúncia
TROPA OU BONDE DO PEIXÃO
De acordo com as investigações, a quadrilha, que se autointitula Tropa ou Bonde do Peixão, é ligada à facção Terceiro Comando Puro (TCP) e vem atacando a Cinco Bocas, para tentar expulsar os traficantes rivais do CV e diversas famílias que moram na região.

"Esses criminosos atuam de maneira muito violenta, impondo todas as determinações do chefe, visto que as ações dos membros desta organização criminosa só podem ser executadas através da autorização do líder da quadrilha", conta o titular da 22ª DP.

No dia do crime, Peixão ordenou que seus subordinados invadissem a Cinco Boca e tomassem os pontos de venda de drogas da região. Na ocasião, os jovens foram mortos nas ruas Castelo Branco e Sete, por estarem em uma favela dominada por uma facção rival. Os traficantes estavam com roupas pretas similares às da polícia, além de coletes e fuzis. Eles teriam passado quatro horas na região.

A destruição dos corpos das vítimas foi determinada para que não chamasse a atenção da polícia e para que também não restassem provas dos assassinatos dos rivais do CV.
Material encontrado com os presos em flagrante - Divulgação / Polícia Militar
Os jovens mortos:

. Adalberto Bispo Pereira Neto

. Alexandre Gomes Correia

. Darlan Gonçalves
. Rafael Magalhães Celestino

. Matheus Silva das Neves

. Thiago Moreira Sbano

. Victor Hugo de Queiroz Surcin
Helicóptero foi visto na região - Reprodução / Internet


RECOMPENSA

Essa não foi a primeira vez que Peixão ordenou invasões à comunidade Cinco Bocas. O traficante também é apontado pela polícia como o responsável por ordenar ataques a terreiros de umbanda e candomblé na Zona Norte da capital e na Baixada Fluminense.

O Disque Denúncia divulgou hoje que está oferecendo uma recompensa de R$ 1 mil para quem der informações sobre o paradeiro dos traficantes envolvidos no crime que estão foragidos.

Quem tiver qualquer informação sobre a localização deles pode entrar em contato através dos seguintes canais: WhatsApp ou Telegram Portal dos Procurados: (21) 98849-6099; Facebook/(inbox): www.facebook.com/procurados.org; Disque Denúncia: (21) 2253-1177; ou ainda pelo aplicativo: "Disque Denuncia RJ".

A entidade avisa que as denúncias são sigilosas e que todas as informações que receber serão encaminhadas para a 22ª DP (Penha).

Galeria de Fotos

Operação de ontem teve participação das polícias Civil e Militar Reprodução / Internet
A recompensa para a descoberta do paredeiro dos procurados é de R$ 1 mil Divulgação / Disque Denúncia
Helicóptero da Polícia Civil participou da operação Reprodução / Internet
Helicóptero foi visto na região Reprodução / Internet
Material encontrado com os presos em flagrante Divulgação / Polícia Militar

Comentários