Coronavírus: Militares não pagarão passagem em transporte público

A medida irá facilitar, agilizar e dinamizar o funcionamento de serviços públicos e atividades essenciais à população

Por O Dia

Militares e profissionais da saúde serão isentos a pagar passagem em transporte público devido ao coronavírus
Militares e profissionais da saúde serão isentos a pagar passagem em transporte público devido ao coronavírus -
Rio - O governador Wilson Witzel, anunciou, nesta quinta-feira, que policiais e bombeiros militares estão isentos de pagar passagem em transportes públicos durante a situação do estado para o enfrentamento do coronavírus (covid-19). De acordo com o decreto, já publicado no Diário Oficial, a medida irá facilitar, agilizar e dinamizar o funcionamento de serviços públicos e atividades essenciais à população.
Ainda segundo a medida, só terão a gratuidade os profissionais devidamente fardados ou com documento funcional. De acordo com o governo, a isenção no pagamento da passagem irá até a situação de emergência do estado acabar. 
Hospital de campanha
O governador Wilson Witzel vai montar um hospital de campanha no Estádio do Maracanã, na Zona Norte do Rio, para atender pacientes infectados pelo novo coronavírus (covid-19). A informação foi dada pelo governador durante entrevista à TV Globo, na manhã desta quinta-feira. Witzel disse também que outros três hospitais de campanha serão montados em três terrenos diferentes do estado.
Críticas ao governo federal
Wilson Witzel criticou, na manhã desta quinta-feira, o posicionamento do governo federal e a nova postura do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, sobre o combate ao novo coronavírus (covid-19). 
"Estou estarrecido com a politização de uma situação tão grave como essa. Esse novo posicionamento do ministro Mandetta nos surpreende e deixa a sociedade zonza e confusa sobre o que fazer", criticou Witzel, em entrevista à TV Globo.
O governador disse que é "inadmissível" a mudança de visão do ministro sobre o isolamento da população, contrariando recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Comentários