Morre homem espancado por casal que inventou estupro para encobrir crime

Lúcio dos Santos Pires ficou cerca de dois meses internado em estado gravíssimo no Hospital da Posse, em Nova Iguaçu

Por RAI AQUINO

Lúcio dos Santos Pires foi covardemente agredido na cabeça no dia 30 de janeiro
Lúcio dos Santos Pires foi covardemente agredido na cabeça no dia 30 de janeiro -
Rio - Morreu o homem que foi espancado com um pedaço de madeira por um casal que inventou que ele teria estuprado a mulher em Nova Iguaçu, na Baixada FluminenseLúcio dos Santos Pires, de 36 anos, foi agredido por B. S. Q. O P., 22, e M. R. E. S. S., 25, que tiveram um ataque de fúria contra ele na noite do dia 30 de janeiro. 
Desde então, Lúcio estava internado em estado gravíssimo no Hospital Geral de Nova Iguaçu (Posse). Ele deu entrada na unidade com lesões na cabeça, passou pro cirurgia, ficou internado no CTI por cerca de dois meses em estado gravíssimo e não resistiu aos ferimentos na última quarta-feira.
O caso foi desvendado pela Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Nova Iguaçu, que prendeu o casal horas depois das agressões. À delegada Mônica Areal, titular da especializada, os dois inventaram que a mulher tinha sido estuprada por Lúcio, dizendo que ele teria sido linchado pela população local por isso.
Mas o falso crime foi descoberto depois que os policiais conseguiram um vídeo, que mostra o marido agredindo a vítima. Os moradores da região confirmaram a história de que M. R. E. S. S. foi quem espancou Lúcio. Um outro vídeo mostra a mulher levando uma faca para o marido durante as agressões; relembre!
Na ocasião, o casal foi indiciado tentativa de homicídio por motivo fútil e denunciação caluniosa. Como Lucas morreu, ao invés de tentativa de homicídio, eles vão responder por homicídio consumado, ainda por motivo fútil.

Comentários