Dona de clínica em que MC Atrevida morreu diz que estabelecimento tinha alvará para funcionar

De acordo com a declaração de óbito, a funkeira teve uma infecção generalizada causada por inflamação na pele

Por Lucas Cardoso

Wania Tavares é dona da clínica 'Rainha das Plásticas', em Vila Isabel, Zona Norte do Rio
Wania Tavares é dona da clínica 'Rainha das Plásticas', em Vila Isabel, Zona Norte do Rio -
Rio - Wania Tavares, a 'Rainha das Plásticas', dona da clínica em que Fernanda Rodrigues, conhecida como MC Atrevida, fez um procedimento estético antes de morrer, chegou à 20ª DP (Vila Isabel) na manhã desta sexta-feira para prestar depoimento que durou cerca de três horas. 
Após sair da delegacia, a empresária falou com alguns repórteres e disse que tinha os documentos necessários para que a clínica funcionasse: "Eu trouxe todos os documentos, está tudo certinho. Estavam falando que eu não tinha documento, mas olha, eu tenho alvará da Vigilância Sanitária. A clínica está apta a funcionar. Estou consternada com o que aconteceu, muito abalada. Não é fácil."
Ao ser perguntada se o médico que fez o procedimento na vítima era cirurgião, Wania disse: "Ele tem vários cursos e eu deixei tudo aí na delegacia. Eu conheço ele há muito tempo. A clínica é nova aqui, mas eu conheço ele há oito anos."
De acordo com a declaração de óbito, a funkeira teve uma infecção generalizada causada por inflamação na pele. Janine Silva, amiga de Fernanda, contou que a MC ficou em sua casa após o procedimento, que aconteceu no dia 16 e reclamou de dores. Ao entrar em contato com a clínica, foi informada por um responsável de que a situação era "normal".
Ao falar com os repórteres nesta manhã, Wania disse que o procedimento "dá desconforto, fica roxo, mas só o médico mesmo para falar. Eu não sou médica, não", finalizou.
Após a morte de Fernanda, Wania usou seu Instagram para dizer que estava com a "consciência tranquila". A empresária falou ainda que gostaria de analisar o laudo médico antes de se pronunciar, mas disse que decidiu se defender depois que o caso foi publicado pela imprensa.
A clínica em que ocorreu o procedimento estético está interditada desde quinta-feira (30), quando o caso veio à tona. Depois de prestar o depoimento nesta sexta-feira, a dona do estabelecimento acompanhou agentes da Polícia Civil em uma vistoria ao local. 

Comentários