Portal dos Procurados pede informações sobre envolvidos na morte de agente penitenciário

Ezequiel Figueiredo foi encontrado morto na Cacuia, em Nova Iguaçu

Por O Dia

 Ezequiel Figueiredo
Ezequiel Figueiredo -
Rio - O Portal dos Procurados divulgou nesta quarta-feira, um com pedido de informações que levem a identificação e localização dos envolvidos na morte do agente da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) Ezequiel Figueiredo, de 47 anos.

O agente foi encontrado morto, com sinais de espancamento, na manhã desta quarta, na Estrada do Santana, no bairro Cacuia, em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense.

Familiares do agente relataram aos policiais do 20º BPM (Mesquita) que Ezequiel estava bebendo em um bar, na noite desta terça-feira, quando decidiu ir para casa. Logo depois, saiu novamente, dizendo que iria encontrar alguns amigos. Ainda segundo os parentes, como o homem não retornou, eles iniciaram as buscas. 
A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fez perícia no local, e foi instaurado inquérito para apurar as circunstâncias da morte de Ezequiel. Os policiais também buscam informações que possam identificar a autoria do crime.

Com a morte do agente da Seap, chega a 37 o número de agentes de segurança pública assassinados no Rio em 2020, sendo 28 da Polícia Militar, um da Polícia Federal, dois do Corpo de Bombeiros, dois da Polícia Civil, dois da Marinha do Brasil, e dois inspetores da Seap.
O Portal pede para quem tiver qualquer informação a respeito da identificação e localização dos assassinos denuncie pelos seguintes canais: WhatsApp Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo Facebook: https://www.facebook.com/procuradosrj/, pelo Disque-Denúncia (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177 , ou pelo aplicativo para celular – Disque Denúncia e também pelos aplicativos: https://twitter.com/PProcurados, e https://www.instagram.com/portal.dos.procurados.

Todas as denúncias sigilosas sobre o caso serão encaminhadas a Delegacia de Homicídios da Baixada _ DHBF - que tem como prioridade prender os envolvidos na morte de agentes de segurança no Rio.

Comentários