Lanche que foi comprado pelo motorista e substituído pelo que ele comeu - Reprodução / Arquivo Pessoal
Lanche que foi comprado pelo motorista e substituído pelo que ele comeuReprodução / Arquivo Pessoal
Por Carolina Freitas
Publicado 25/08/2020 18:35 | Atualizado 27/08/2020 18:12
Rio - Um motorista de aplicativo, identificado como Ian Cury, ganhou novamente cara na internet neste domingo após comer um cachorro-quente que era para ser entregue a uma cliente no bairro da Freguesia, em Jacarepaguá, na Zona Oeste da cidade. O caso repercutiu nas redes após a dona do estabelecimento que faz o lanche, achar Ian em um vídeo que viralizou na internet em 2012, onde ele faz uma pegadinha com a namorada, fingindo o término do relacionamento. O motorista comeu o lanche e o substituiu por um outro totalmente diferente, que é encontrado em "podrões", barraquinhas de rua. 
Bruna Tate, proprietária do local em que Ian foi buscar o lanche, contou ao DIA como aconteceu a história. Segundo ela, uma cliente que pede cachorro-quente no estabelecimento pelo menos uma vez por semana, chegou de viagem e disse que queria comer e iria pedir para um motorista de aplicativo buscar para ela, já que o aplicativo de comida não entrega onde ela mora.
Publicidade

Galeria de Fotos

A cliente disse que recebeu um 'podrão' no lugar do lanche pedido Reprodução / Arquivo Pessoal
Lanche que era pra ter sido entregue para a cliente Arquivo Pessoal
Conversa de motorista de aplicativo com dona de estabelecimento (4) Arquivo Pessoal
Conversa de motorista de aplicativo com dona de estabelecimento (1) Arquivo Pessoal
Conversa de motorista de aplicativo com dona de estabelecimento (2) Arquivo Pessoal
Conversa de motorista de aplicativo com dona de estabelecimento (3) Arquivo Pessoal
Conversa de motorista de aplicativo com dona de estabelecimento (6) Arquivo Pessoal
"Ela chamou um motorista de aplicativo da 99 Táxi, para pegar o pedido. Nesse dia, ela chamou o carro, mas esqueceu de colocar no modo "entrega"; mas até aí tudo bem, caso o motorista se negasse a realizar a entrega, ela pediria outro carro. Minha esposa desceu com o pedido, confirmou o motorista, a foto e o carro. Ele perguntou se ela não iria junto e ela disse que era apenas uma entrega", disse Bruna. 
Publicidade
A dona do estabelecimento disse ainda que Ian em nenhum momento reclamou de levar a comida, e até riu da situação dizendo que achava que iria buscar uma pessoa, e não um lanche.
"Eu continuei trabalhando aqui e a cliente acompanhando o motorista pelo aplicativo. Ela viu que ele estava fazendo uma rota mais demorada. Certo momento ela percebeu que ele ficou um bom tempo parado numa rua no Centro da Taquara. Depois de uns 10 minutos, ele continuou viagem. Chegando no destino a cliente já estava esperando por ele, que chegou tomando um refrigerante e pediu desculpa pela demora pois havia parado num posto de gasolina", continuou Bruna. 
Publicidade
Ela conta ainda que assim que chegou em casa, a cliente ligou para o celular da esposa dela dizendo que o lanche tinha chegado errado, com milho, queijo ralado e sem nenhum molho, ou seja, nada parecido com que ela estava acostumada a pedir toda semana. 
"Nessa hora eu pedi para ela tirar uma foto e me mandar. Eu me assustei quando vi, era um cachorro-quente desses de rua que você come pós-balada às 6h da manhã. Falei para ela que o lanche não era nosso e que o motorista devia ter comido e trocado por outro. No primeiro segundo ela não acreditou que ele poderia ter feito uma coisa dessas, mas então ela começou a me explicar da rota, da demora, do refrigerante que ele estava tomando, e tudo foi se encaixando", disse a dona do estabelecimento. 
Publicidade
À reportagem, Bruna contou que ficou incrédula e preparou outro lanche para enviar a cliente, só que desta vez, pediu no modo "entrega" no aplicativo, e o pedido chegou sem problema algum. 
Sem acreditar no que tinha acontecido, ela resolveu ir atrás do motorista com as informações que tinha: placa do carro, nome e foto. 
Publicidade
"Tentei através de todas as combinações de nome e sobrenome possíveis e abreviações inimagináveis. A única pista foi o nome em um processo antigo, mas zero informações. Procura daqui, procura dali, resolvi ir para o Twitter. Com o nome, encontrei duas informações; a primeira de várias pessoas comentando do vídeo engraçado do cara "trolando" a namorada e a segunda era uma reclamação de um motorista no 'Reclame Aqui'.  
Ela conta que na reclamação que fizeram sobre o motorista, o passageiro deixou o número de telefone do mesmo; então, ela decidiu mandar uma mensagem e, para sua surpresa, Ian começou respondendo que não era obrigação dele fazer nenhuma entrega e que se ele quisesse, nem precisava ter se dado ao trabalho de entregar, já que ele 'esperava levar uma pessoa e não um pacote'.
Publicidade
"Ele se entregou de cara. Como ele não tem nenhuma rede social, eu acho que ele não esperava que minha raiva encontrasse ele. Com a foto dele no WhatsApp, abri o vídeo no Youtube e mostrei para minha esposa, ela disse que parecia sim muito com ele. Mandei também para a cliente que ele levou o lanche e ela disse que com certeza era ele. Aí pra ter certeza, fui pesquisar sobre quais programas ele tinha ido na época que o vídeo viralizou e tudo batia, o nome dele e da namorada, sobrenome", disse Bruna. 
Ela informou ainda que o motorista disse que iria processá-la caso ela divulgasse o que tinha acontecido.
Publicidade
Em seu Instagram, a namorada de Ian, Chayanne Dummont, ainda debocha da situação dizendo: "Primeiramente, o que eu tenho a ver com isso? Nada. Segunda coisa, eu tô rindo muito. Ian, a pergunta que não quer calar: Você comeu ou não comeu o hot-dog da mulher? Porque a mulher falou que ele comeu e botou outro no lugar. E aí, Ian?", diz Chayanne. "Não sei nem porque eu entreguei, porque eu não faço nem entrega, né mano?", responde o motorista.
Publicidade
O DIA entrou em contato com a vítima, que preferiu não ser identificada. Ela disse que o que Ian fez foi de má fé. "Achei muita sacanagem, eu tive que pagar uma corrida outra vez, também paguei por outro sanduíche e outro refrigerante. Fiquei no prejuízo. Chegando na minha casa ele ainda teve a cara de pau de dizer que ia me dar um desconto porque teve que parar no posto para colocar gasolina", contou a cliente.
A reportagem tentou falar com o motorista, mas não obteve sucesso. Ian desativou seu perfil no Instagram, além dos comentários do vídeo em que ficou conhecido em 2012. Nesta tarde, pessoas comentavam para que ele devolvesse o lanche que tinha comido. 
Publicidade
O DIA entrou em contato com a 99 Táxi, que disse que lamenta o ocorrido e que está apurando o caso para esclarecimento dos fatos. O app reitera ainda que as viagens feitas pela categoria 99POP é exclusivamente destinada ao transporte de pessoas. "Em comportamentos como esse, que vão contra os Termos de Uso do aplicativo, o perfil do motorista pode ser bloqueado", conclui.