Votação na Câmara para o impeachment do prefeito Marcelo Crivella  - Gilvan de Souza
Votação na Câmara para o impeachment do prefeito Marcelo Crivella Gilvan de Souza
Por O Dia
Publicado 03/09/2020 19:24 | Atualizado 04/09/2020 09:45
Rio - A Câmara de Vereadores rejeitou a abertura do processo de impeachment contra o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos) , nesta quinta-feira. A sessão começou às 15h e, por volta das 19h, houve a votação. Ao todo, foram 25 votos contra e 23 a favor da abertura do rito. 

Galeria de Fotos

Painel com a votação Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Painel com o resultado da votação Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Marcello Siciliano Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Marcello Siciliano Gilvan de Souza / Agencia O Dia
O vereador Marcelo Siciliano reclama de perseguição apontando para os profissionais de imprensa que estavam na Câmara Gilvan de Souza / Agência O Dia
Votação na Câmara para o impeachment do prefeito Marcelo Crivella Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Votação na Câmara Gilvan de Souza / Agencia O Dia
A maioria dos vereadores votou remotamente, em videoconferência Fotos Gilvan de Souza
Votação na Câmara para o impeachment do prefeito Marcelo Crivella Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Votação na Câmara para o impeachment do prefeito Marcelo Crivella Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Votação na Câmara Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Votação na Câmara para o impeachment do prefeito Marcelo Crivella Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Votação na Câmara para o impeachment do prefeito Marcelo Crivella Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Plenário da Câmara Municipal Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Votação na Câmara para o impeachment do prefeito Marcelo Crivella Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Votação na Câmara para o impeachment do prefeito Marcelo Crivella Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Carlos Bolsonaro Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Votação na Câmara Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 03/09/2020 - Votacao na Camara para o impeacheament do prefeito Marcelo Crivela - Foto Gilvan de Souza / Agencia O Dia Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Plenário da Câmara do Rio Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Publicidade
A sessão durou quase 4 horas, com parte da Casa presencialmente, e a maioria dos parlamentares remotamente por conta da pandemia de covid-19.
O pedido de abertura do processo de impeachment foi protocolado pela deputada estadual Renata Souza (PSOL) como reposta à denúncia veiculada pela TV Globo, de que grupos organizados de servidores municipais são pagos pela prefeitura para constranger o trabalho da imprensa na porta das unidades de saúde do município e impedir que a população dê entrevistas. O grupo ficou conhecido como 'Guardiões do Crivella'.
Publicidade
A votação foi por maioria simples de votos. No total, 50 vereadores estavam aptos a votar. A exceção ficou por conta do presidente da Casa, Jorge Felippe (DEM), que estaria na linha sucessória para assumir a prefeitura, caso Crivella tivesse o mandato cassado.
Votaram contra a abertura do processo de impeachment: 
Publicidade
Alexandre Isquierdo (DEM)
Carlos Bolsonaro (Republicanos)
Dr. Carlos Eduardo (PODE)
Dr. Gilberto (PTC)
Dr. Jairinho (SD)
Dr. João Ricardo (PSC)
Dr. Jorge Manaia (PP)
Eliseu Kessler (PSD)
Fátima da Solidariedade (SD)
Felipe Michel (PP)
Inaldo Silva (Republicanos)
Jair da Mendes Gomes (PROS)
João Mendes de Jesus (Republicanos)
Leandro Lyra (Republicanos)
Major Elitusalem (PSC)
Marcelino D'Almeida (PP)
Marcelo Sicilliano (PP)
Marcelo Arar (PTB)
Professor Adalmir (PP)
Renato Moura (Patriota)
Rocal (PSD)
Tania Bastos (Republicanos)
Vera Lins (PP)
Zico (Republicanos)
Zico Bacana (PODE)
Votaram a favor:
Publicidade
Atila A. Nunes (DEM)
Babá (PSOL)
Carlo Caiado (DEM)
Cesar Maia (DEM)
Dr. Marcos Paulo (PSOL)
Fernando William (PDT)
Italo Ciba (Avante)
Jones Moura (PSD)
Leonel Brizola (PSOL)
Luciana Novaes (PT)
Luiz Carlos Ramos Filho (PMN)
Paulo Messina (MDB)
Paulo Pinheiro (PSOL)
Prof Celio Luparelli (DEM)
Rafael Aloisio Freitas (Cidadania)
Reimont (PT)
Renato Cinco (PSOL)
Rosa Fernandes (PSC)
Tarcísio Motta (PSOL)
Teresa Bergher (Cidadania)
Veronica Costa (DEM)
Wellington Dias (PDT)
Willian Coelho (DC)
Os vereadores Junior da Lucinha (PL) e Thiago K Ribeiro (DEM) não estavam presentes na plenária e não votaram,. O presidente Casa, Jorge Felippe (DEM), não votou porque estava impedido para votação. 
Publicidade
Após a sessão, parlamentares se manifestaram sobre o resultado da votação.
"Por 25 a 23, a Câmara de Vereadores escreveu mais um triste capítulo na história do Rio e abafou o impeachment do Crivella, apresentado pela deputada Renata Souza. A cidade tá ruindo, o carioca tá envergonhado e desesperado com a milícia de crachá do prefeito. E 25 vereadores não tão nem aí", escreveu o vereador Tarcísio Motta (PSOL). 
Publicidade
Crivella diz que segue debatendo iniciativas com transparência junto à Câmara
Após a votação, o prefeito Marcelo Crivella comentou o resultado por meio de nota. 
Publicidade
"A Prefeitura do Rio segue trabalhando, tendo o interesse público como foco — e, por isso mesmo, debatendo as iniciativas com transparência junto à Câmara Municipal e seus vereadores, representantes diretos da população", disse. 
Em outro trecho o prefeito diz que é  "necessário levar ao público a informação correta". 
Publicidade
Confira a nota na íntegra 
A Prefeitura do Rio segue trabalhando, tendo o interesse público como foco — e, por isso mesmo, debatendo as iniciativas com transparência junto à Câmara Municipal e seus vereadores, representantes diretos da população.
Publicidade
A Prefeitura reitera que é necessário levar ao público a informação correta de que o grupo de WhatsApp “Guardiões do Crivella” NÃO é institucional, NÃO se presta a organizar servidores para coibir a imprensa — e, para uma simples confirmação, basta a imprensa interessada verificar o conteúdo do grupo.
A Prefeitura do Rio reforçou o atendimento em unidades de saúde municipais para melhor informar à população e evitar riscos à saúde pública, como quando a TV Globo veiculou que o Hospital Albert Schweitzer estava fechado, mas ele estava aberto para atendimento.
Publicidade
A Prefeitura do Rio é contra todo tipo de violência.