Superintendência Estadual do Ministério da Saúde do Rio de Janeiro abre vagas para profissionais de saúde interessados em atuar no enfrentamento à covid-19
Superintendência Estadual do Ministério da Saúde do Rio de Janeiro abre vagas para profissionais de saúde interessados em atuar no enfrentamento à covid-19Daniel Castelo Branco
Por O Dia
Rio - A Superintendência Estadual do Ministério da Saúde do Rio de Janeiro (Sems-RJ) publicou, na tarde de sexta-feira (16), uma nota informando aos profissionais de saúde interessados em atuar no enfrentamento à pandemia da covid-19, nos Hospitais e Institutos Federais, que podem enviar seus currículos por email, para análise e possível convocação.
A nota foi divulgada pela Sems-RJ após audiência pública realizada pelas comissões de Saúde da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e da Câmara dos Vereadores sobre oferta de leitos para enfrentamento à Pandemia de Covid-19 no Rio de Janeiro.
Publicidade
O Superintendente do Ministério da Saúde, George da Silva Divério, quando questionado pelos leitos fechados nas unidades federais, pela falta de profissionais de saúde e o não preenchimento do total de vagas oferecidas no último certame dos contratos temporários, expôs a dificuldade para preencher 400 vagas, convocando os profissionais interessados a se apresentarem.
Em razão da pandemia, a Superintendência não receberá os currículos presencialmente. As vagas referem-se ao 6° certame e que os interessados deverão encaminhar currículo para o e-mail: [email protected].
Publicidade
A SEMS-RJ informou que os cargos administrativos já foram preenchidos. Em consequência, somente poderão ser consideradas as vagas para cargos assistenciais.
Rede federal tem o maior número de leitos impedidos por falta de profissionais 
Publicidade
De acordo com o Censo Hospitalar da Secretaria municipal de Saúde, no momento, há 376 leitos UTI covid e clínica médica SRAG impedidos de receber pacientes. Deste total, 91 leitos dos bloqueados se concentram na rede federal de Saúde, que tem cinco unidades, todas localizadas na cidade do Rio. O principal motivo para que estes leitos bloqueados é pela falta de médicos, enfermeiros ou técnicos de enfermagem.
No Hospital Federal da Lagoa há 16 leitos na clínica médica SRAG bloqueados e 4 na UTI covid. No Hospital Universitário Clementino Fraga Filho são 23 leitos UTI covid impossibilitados de funcionar.  No Hospital Federal do Andaraí há 38 leitos na clínica médica SRAG e 7 leitos UTI Covid bloqueados. O Censo Hospitalar indicou que o Hospital Federal Cardoso Fontes não tem nenhum leito impedido no setor de UTI covid e clínica médica SRAG. No Hospital Federal dos Servidores do Estado são 3 leitos UTI Covid bloqueados. Os dados foram coletados às 16h deste sábado (17).
Publicidade
Hospital Federal da Lagoa vai abrir 50 leitos de UTI para covid-19
O Ministério da Saúde anunciou neste sábado (17) que o início de 200 profissionais temporários, na próxima segunda-feira (19), vai permitir a abertura de 50 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) para covid-19 no Hospital Federal da Lagoa, na zona sul do Rio de Janeiro.

Segundo a pasta, o grupo de profissionais inclui médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas, que irão atuar por 60 dias no hospital. A contratação se deu por meio da Associação Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus (ALSF) e com o apoio de um grupo de empresários.

A fila de espera para internação em UTI no estado do Rio de Janeiro tinha 307 pessoas na atualização de ontem (16) do painel da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro. A ocupação das UTIs na capital chega a 95%, com 704 pessoas internadas em estado grave e mais 664 em vagas de enfermaria.
Publicidade