Selo táxi seguro tem objetivo de dificultar atuação de táxis piratasDivulgação

Por O Dia
Rio - O governador Cláudio Castro esteve hoje no lançamento do selo de segurança "Ande de Táxi Legal", campanha que tem como objetivo dificultar a atuação de táxis piratas tanto na capital, quanto no interior do estado. Com ele estavam também o presidente da Assembleia Legislativa, André Ceciliano e o presidente da Comissão de Transportes, deputado Dionísio Lins. A ação foi idealizada pelo Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro (Ipem/RJ). O presidente da entidade, Kenedy Martins, explicou que p novo selo trará maior tranquilidade ao usuário no momento do embarque.
"Começamos hoje aqui no Rio de Janeiro a identificação com esse selo dos táxis que estão legalizados. Nossa próxima etapa é começar esse trabalho em todos os municípios com as equipes itinerantes. Se no momento de embarcar o usuário observar que o taxista não possui esse selo, não o faça e ligue imediatamente para a ouvidoria do órgão através do 0800 282 3040 ou pelo e- mail [email protected], de segunda à sexta-feira, das 10h às 16h", disse Kenedy.
Publicidade
Já o governador Cláudio Castro, destacou a importância da categoria para o Rio de Janeiro, e disse estar estudando a possibilidade de liberar uma linha de crédito para os taxistas. Para o presidente da Comissão de Transportes da Alerj, deputado Dionísio Lins, o novo selo terá sete itens de segurança para evitar possíveis fraudes, e sua identificação só poderá ser feita por fiscais da Diretoria de Táxis do Ipem, que utilizarão equipamentos com luz ultravioleta para realizar a leitura do código de barras e demais lacres de segurança impressos no selo.
"O novo selo será afixado do lado direito do para-brisa dianteiro do veículo, facilitando a identificação por parte do usuário de que se trata de um veículo legalizado, e caso haja tentativa de ser retirado do local ,ele irá se desfazer, pois é todo licitado justamente para evitar essa possibilidade", explicou Dionísio.
Publicidade
O Ipem informou ainda que para impedir que veículos circulem ilegalmente ou com uma dupla autorização, passará a se basear em um cadastro único com todos os dados dos proprietários dos veículos, que serão fornecidos pelas prefeituras.