Dona Nair Gama Oliveira foi morta dentro de casa durante tiroteio entre traficantes e policiais militaresDivulgação

Rio - O enterro da dona de casa Nair Vieira Gama, de 59 anos, baleada durante um tiroteio entre PMs e traficantes na comunidade Cangulo, em Duque de Caxias, na Baixada, está previsto para acontecer nesta sexta-feira (7), no Cemitério Nossa Senhora do Belém, conhecido como Cemitério do Corte 8, no bairro Carolina, às 15h.
A vítima foi baleada dentro de casa, na última terça-feira (4), durante um tiroteio entre PMs e traficantes na comunidade. Ela foi socorrida e levada ao Hospital Adão Pereira Nunes, mas não resistiu aos ferimentos. A 60ª DP (Campos Eliseos) já apreendeu e encaminhou para perícia os fuzis usados por policiais do 15º BPM (Duque de Caxias). Testemunhas também estão sendo ouvidas e os policiais envolvidos foram afastados das ruas. Segundo moradores da região, apenas os policiais militares teriam feito disparos no local.
Nas redes sociais, amigos de dona Nair Gama fizeram uma homenagem para ela. Ela era integrante do projeto social Trazendo Boas Novas, ação que apoia famílias carentes com alimentação, vestimenta, reintegração social, integração escolar e no mercado de trabalho. "NAIR VIEIRA... Mas para nós com muito carinho, Dona Nana. Uma das primeiras pessoas que conhecemos no início do projeto, ela quem nos conectou a tantas outras famílias. E também foi uma motivação e inspiração para nós, pois o pouco que tinha compartilhava com seus vizinhos e amigos... Sempre pensando no outro primeiro. Uma mulher querida, guerreira, mansa, doce e que tinha uma fé inabalável no Senhor... Nós vamos sentir saudades, muitas saudades, mas acreditamos que descansou em Deus! Hoje o Projeto Trazendo Boas Notícias e toda equipe está de LUTO, e desejamos que o Senhor conforte o coração de toda a família e amigos!", escreveu.
Uma amiga de Nair também lamentou a morte dela e disse ter sido uma "covardia" a forma como ela morreu. "Fizeram muita covardia na ela não merecia morrer desse jeito. Ela está na mão de Deus porque ela é uma pessoa da igreja uma pessoa não fazer mal para ninguém. Mulher guerreira, esforçada e trabalhadeira, mas Deus tá vendo tudo. Tá doendo muito o coração de todo mundo", escreveu nas redes sociais.
O comando do 15º BPM (Duque de Caxias), acompanhado pelo Ministério Público, também instaurou um procedimento para apurar as circunstâncias do fato.