Dona Nair Gama Vieira foi morta dentro de casa durante tiroteio entre traficantes e policiais militaresDivulgação

Rio - Raquel Pinto, filha de Nair Vieira Gama, de 55 anos, morta durante um tiroteio na comunidade Cangulo, em Duque de Caxias, na Baixada, disse que a mãe tentou aproveitar um momento que os tiros haviam cessado para ir embora. Ela estava na casa de uma parente. No entanto, no momento em que a dona de casa estava do lado de fora, ela foi atingida por uma bala perdida. Raquel diz que mesmo depois que a mãe foi baleada, os policiais seguiram atirando. Caso aconteceu na última terça-feira (04).
"Quando ela (a tia) abriu o portão, minha mãe passou na frente dela e já começou o tiro de novo pra cima delas, elas correram pra dentro e minha mãe falou 'eu fui atingida' e mesmo assim eles continuaram dando tiro em cima delas", contou Raquel em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo.
Segundo a filha da idosa, os policiais disseram que atiraram pois viram suspeitos próximos ao local que Nair e a irmã estavam. "Eles falaram que passou um meliante próximo à minha mãe e eles atiraram pensando que era bandido [...] Foram os policiais que atiraram", finalizou.
Dona Nair Vieira integrava projeto social que ajuda famílias carentes com alimentação e reintegração social. O enterro está previsto para acontecer nesta sexta-feira (7), no Cemitério Nossa Senhora do Belém, conhecido como Cemitério do Corte 8, no bairro Carolina. O horário ainda não foi confirmado. 
O comando do 15º BPM (Duque de Caxias) instaurou um procedimento para apurar as circunstâncias do fato. O Ministério Público acompanha o caso. A investigação é realizada pela 60ª DP (Campos Elíseos). Segundo a Polícia Civil, testemunhas estão sendo ouvidas e diligências estão sendo realizadas para esclarecer os fatos.