Secretaria Estadual de Saúde diz que 68% das amostras analisadas no Rio são da variante ÔmicronAFP

Rio - A Secretaria de Estado de Saúde (SES), por meio da Subsecretaria de Vigilância e Atenção Primária à Saúde, informou nesta sexta-feira que 68% das amostras analisadas em dezembro no Rio são da variante Ômicron. De acordo com a pasta, foram sequenciadas 81 amostras de teste RT-PCR para covid-19 de moradores do estado.
A SES afirmou que, desse total, 55 deram positivo para a variante Ômicron e 26 para a Delta. Outros 199 casos estão sob análise.
"A investigação epidemiológica está em curso pelas equipes da Vigilância em Saúde das Secretarias Municipais de Saúde. Além desses casos, há três amostras confirmadas de pessoas que contraíram a doença no exterior. Quanto aos demais, as vigilâncias municipais estão realizando a investigação epidemiológica. O sequenciamento do coronavírus não é um exame de rotina nem de diagnóstico, ele é feito como vigilância genômica, para identificar modificações sofridas pelo vírus SARS-CoV-2 no estado e embasar políticas sanitárias", disse a pasta por meio de nota.
"Quando liberamos o uso da máscara em lugares abertos, eu percebi que as pessoas continuaram usando. Essa consciência coletiva é muito importante, porque não tem como a prefeitura fiscalizar 7 milhões de cariocas e todos aqueles que vem a cidade o dia inteiro. Isso é um processo de consciência coletiva. Os governos podem fazer muita coisa? Podem, mas essa é uma luta de todos nós. Temos as vacinas disponíveis nos postos e estamos abrindo esses pontos de testagens para que a gente possa ter mais rapidez na identificação dos casos", afirmou Paes.
O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, disse que a capital tem hoje menos de 30 pacientes internados em toda a rede de saúde. Mas caso haja necessidade de pessoas serem internadas, os hospitais estão preparados para recebê-las.
"Só o INI, da Fiocruz, tem capacidade para internar mais de 200 pacientes. Mas a gente tem o hospital de referência, que é o Ronaldo Gazolla, que tem 420 leitos. Felizmente, estamos vendo que a variante Ômicron não causa aumento de casos graves e internações, devido à alta cobertura vacinal que temos na cidade do Rio. A principal estratégia é vacinar, precisamos ter uma alta adesão á dose de reforço, porque a vacina protege, mas essa proteção vai caindo ao longo do tempo".
De acordo com o Painel de monitoramento da Covid-19, a primeira semana do ano já acumula 13.813 casos da doença na capital. A última vez em que o número de casos confirmados superou os dez mil aconteceu há quase quatro meses. Entre os dias 12 e 18 de setembro, o município do Rio teve 13.074 casos registrados de covid-19.
O total de casos desta semana é 33 vezes maior que o registrado na última semana de 2021, quando apenas 41 casos foram confirmados no município.