Doações de ração chegam a todo o momento para os animais resgatados ou situação de abandono após as fortes chuvas em Petrópolis, que causou muita destruição no mês passadoFoto: Divulgação / RJPET - Governo do Rio

Rio - Um mês após a calamidade em Petrópolis provocada pelas fortes chuvas que atingiram a cidade da Região Serrana no mês passado, pelo menos 50 animais foram resgatados em ação conjunta da Secretaria Estadual de Agricultura, responsável pelas políticas Públicas de Proteção e Bem-estar Animal (PET), em parceria com a Grupo de Resgate de Animais em Desastres (GRADE), ONGs e protetores.

O trabalho de resgate também aconteceu em parceria com o SENAC-RJ, que disponibilizou o "Modo Pet Móvel", um ônibus adaptado para banho e tosa dos animais.

Os animais resgatados em situação de abandono foram levados para clínicas veterinárias parceiras e, em seguida, para acolhimento em ONGs e lares temporários e, caso os donos não apareçam, serão direcionados para adoção. Aqueles que ficaram com seus tutores em abrigos receberam atendimento e ração.

Um outro destaque das ações fica por conta da parceria com a Rio Eco Pets, que disponibilizou inúmeros pontos de coleta para recebimento de ração e água somando-se ao grande número de doações que foram chegando de forma voluntária aos postos de coleta disponibilizados pelo Estado do Rio de Janeiro, chegando a mais de 20 toneladas em doações.

Marcelo Queiroz, secretário estadual de Agricultura, responsável pelas políticas públicas de proteção e bem-estar animal, destacou que "todas as ações somente foram possíveis pela parceria entre órgãos públicos, privados e toda população do estado e "diante de uma situação de calamidade toda colaboração é importante e, por isso, sempre destacamos as ações conjuntas e os parceiros. Seguiremos monitorando a situação em Petrópolis, recebendo as doações e disponibilizando logística para levar toda a arrecadação para a cidade".

Viva Vitória!

A gatinha que ficou 9 dias embaixo dos escombros após as enchentes causadas pelas fortes chuvas em Petrópolis e ganhou o nome de Vitória emocionou a todos pela resistência em meio ao caos. Resgatada pelo Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) ela foi encaminhada para uma clínica veterinária que se tornou importante ponto de apoio em cuidados de animais encontrados em situação de abandono ou resgatados dos destroços na cidade.

O veterinário Guilherme Mayorga, que acompanha a gatinha Vitória, informa que ela foi encontrada com um quadro clínico delicado. Ela chegou à clínica com lesões, em situação de emergência decorrente da perda de grande quantidade de sangue”. Ainda segundo o veterinário, "o quadro foi revertido com sucesso e a gata já apresentou melhora, mas ainda precisa de cuidados”.

A gatinha apresenta quadro de foliculite profunda, que é uma infecção bacteriana de pele, produzindo furúnculos e celulite, causada pelo trauma e contato da pele com a lama e excesso de umidade. Diariamente as lesões são limpas e tratadas, explicou Mayorga, reforçando que, um mês após a tragédia, as lesões já estão cicatrizadas, o tratamento antibacteriano está na última fase.

"Devido às extensas lesões e a necessidade do procedimento cirúrgico de castração pós-tratamento, ainda não temos previsão de alta", disse ele.

O veterinário explicou que não há previsão de alta, mas que, após o tratamento, a gata será destinada para a adoção por alguma família de Petrópolis que tenha reconstruído a vida após a tragédia.

Saiba como ajudar os pets em Petrópolis

Quem quiser doar
Basta entrar em contato com a Secretaria:
local: Alameda São Boaventura, 770 - Fonseca, Niterói
Tel: (21)3607-5562
E-mail - [email protected]