Fuzil de elite da polícia do Rio está na lista de apreensões na Cidade Alta

Armas apreendidas são novas e vieram do exterior, diz delegado

Por O Dia

Rio - A arma mais moderna usadas pelas forças policiais do Rio está na lista dos 32 fuzis apreendidos nas mãos dos criminosos presos ao tentarem retomar pontos de venda de drogas na Cidade Alta, na última terça-feira.

“O modelo AR-10 é um fuzil de excelência. Não é a primeira vez que ele aparece nas mãos de presos, mas isso nos chama a atenção”, afirmou ao DIA o delegado Fabrício Oliveira, titular da Desarme (Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos), que é recém-criada.

Além do AR-10, em uma avaliação preliminar, entre os fuzis apreendidos estão: dezenove outras unidades de fuzis de plataforma AR15 / M16; oito modelos AK47; três FAL; um Sig Sauer . Todos são novos e estão passando por uma perícia detalhada no Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) para confirmar os calibres e as suas numerações, a fim de permitir que a Desarme realize o rastreamento das armas de fogo.

“Muitas das armas apreendidas estão com a numeração raspada. Além disso, um AK pode ter diferentes países de produção. E, independente disso, temos que ver onde essas unidades foram comercializadas”, disse Oliveira. "Com base nas características das armas de fogo apreendidas, que foram verificadas em uma análise inicial, é possível afirmar que todas elas são estrangeiras", concluiu.

O laudo que terá a identificação final dos fuzis deverá ficar pronto em 10 dias. As primeiras apreensões de AR-10 ocorreram no ano passado, totalizando 13 unidades encontradas nas mãos de traficantes.

Nenhuma delas foi desviada das forças policiais. Em 2013, a Secretaria de Segurança Pública comprou 750 fuzis do tipo, visando oferecer maior segurança no período da Olimpíada 2016.

“Ele é o corpo do AR-15, com munição de 7,62, ou seja, um fuzil mais potente. Os policiais do Bope, do Batalhão de Choque e do Batalhão de Ações com Cães (BAC) são os que têm autorização para o uso e ele é o mais moderno que temos de armamento”, disse o coronel Lima Freire, chefe do Estado-Maior da corporação. A Polícia Civil também utiliza armamento do tipo apreendido em suas operações.

Últimas de Rio De Janeiro