Mais uma manobra impede votação de proposta que cria lista de presença na Alerj

Deputado pediu verificação de quórum; quando não havia 36 parlamentares no plenário, pauta fica travada

Por PALOMA SAVEDRA

Sessão desta quarta-feira na Alerj
Sessão desta quarta-feira na Alerj -
Mais uma vez, uma manobra de deputados adiou, nesta quarta-feira, a votação da proposta que dá transparência à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Com isso, a votação do projeto de resolução — de autoria de Eliomar Coelho (Psol) — para a divulgação da lista de presença de parlamentares às sessões foi adiada.
É a terceira vez que o texto sai de pauta. Na primeira discussão, em 2 de maio, o projeto saiu de pauta depois que recebeu emenda do deputado Alexandre Freitas (Novo). O aditivo estende a transparência para os gabinetes da Casa: propõe a publicação dos nomes de assessores de parlamentares, bem como de seus cargos e salários. 
Já na semana passada, estava prevista a análise do projeto no dia 22 de maio. Mas deputados pediram verificação de quórum sobre uma proposta votada antes. Quando se faz esse pedido e não há pelo menos 36 parlamentares presentes, a pauta fica travada: não pode mais haver votação.
E nesta quarta-feira mais uma vez isso aconteceu. Anderson Moraes (PSL) pediu verificação de quórum sobre votação de um texto — que garante gratuidade a idosos em restaurante popular — que havia sido aprovado pela maioria, e que ele também foi favorável. Como não havia 36 presentes no plenário, o projeto de resolução não pode ir à votação. 
Autor reclama
Eliomar Coelho reclamou no plenário. "Tem um projeto de resolução meu que estava na ordem do dia foi pedida verificação de quórum. A gente sabe, inclusive, que o objetivo é para ele não chegar ao plenário para votação. Vim solicitar que ele venha o mais rápido possível na ordem do dia, na próxima sessão", exclamou.
O psolista também reclamou da "falta de vontade" dos deputados em votarem a proposta. "Interessante que se fala tanto em transparência nessa Casa, mas quando na hora de votar um projeto que tenha como objetivo a transparência existir, aí todo mundo faz esse tipo de procedimento", reclamou Coelho. 
 

Comentários