Secretário da Casa Civil vê inconstitucionalidade em proposta que garante reajuste a servidores

André Moura disse à coluna que, mesmo assim, abrirá o diálogo com as categorias, que pedem recomposição salarial pelas perdas inflacionárias

Por PALOMA SAVEDRA

Secretário da Casa Civil, André Moura, discursou na Alerj na abertura do ano legislativo
Secretário da Casa Civil, André Moura, discursou na Alerj na abertura do ano legislativo -
O secretário estadual da Casa Civil, André Moura, que terá um encontro com o Fórum de Servidores Estaduais na próxima semana, disse à coluna que ouvirá as reivindicações das categorias sobre a recomposição salarial. Moura declarou que atenderá ao pedido feito pelos deputados da Alerj — que intermediaram a reunião — e que tentará chegar a um consenso com o funcionalismo. "Vou dialogar com as categorias", disse. 
No entanto, o titular da pasta foi categórico ao declarar que a emenda proposta ao Plano Plurianual (de 2020 a 2023), prevendo recomposição salarial pelas perdas inflacionárias, é inconstitucional. Esse dispositivo (que foi aprovado pelos parlamentares e entrou no texto do projeto de lei) foi vetado pelo governador Wilson Witzel.
Ainda assim, já há indicação de que o veto de Witzel será derrubado pela maioria na Alerj. E o presidente André Ceciliano (PT) já agendou essa votação para março.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários