Presidente da Alerj se compromete a não votar medidas que afetem servidores na pandemia

Em reunião com representantes das categorias, André Ceciliano também disse que vai articular com o Executivo a regulamentação da lei que suspende temporariamente cobrança de consignados

Por PALOMA SAVEDRA

Presidente da Alerj, André Ceciliano se comprometeu a reunir esforços com o vice-governador, Cláudio Castro, para regulamentação de projeto dos consignados
Presidente da Alerj, André Ceciliano se comprometeu a reunir esforços com o vice-governador, Cláudio Castro, para regulamentação de projeto dos consignados -
O presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), André Ceciliano (PT), voltou a afirmar que não votará medidas drásticas durante a pandemia, como as que afetam o funcionalismo. Desta vez, Ceciliano se comprometeu com integrantes do Fórum Permanente dos Servidores Públicos do Estado (Fosperj), em reunião virtual realizada nesta terça-feira.
"Nenhuma decisão sobre o servidor será tomada durante a pandemia. Por parte do Legislativo, não vamos tomar nenhuma decisão sem discussão, sem a participação das categorias e sem avaliar se haverá alguma economia de fato com as mudanças propostas. Independente do que esteja acontecendo na Casa, não colocaremos pautas bombas para serem votadas", declarou o parlamentar.
Na videoconferência, as lideranças pediram a interlocução da Alerj com o governo para a regulamentação da lei que suspende por quatro meses a cobrança das parcelas dos consignados dos servidores ativos, aposentados e pensionistas. 
Ceciliano também se comprometeu a fazer essa ponte com o Executivo - que, neste momento, tem tido o vice-governador, Cláudio Castro, como principal articulador. O presidente da Casa, inclusive, deixou claro que o Legislativo mantém o diálogo com o governo através de seu vice.
Retomada das aulas presenciais
Outro tema abordado pelas categorias trata da retomada das atividades escolares presenciais. Em relação a isso, Ceciliano declarou que as Comissões de Educação, presidida por Flávio Serafini (Psol), e de Ciência e Tecnologia, comandada por Waldeck Carneiro (PT) estão acompanhando de perto as decisões do governo.
Serafini, que, junto com Luiz Paulo (PSDB), também participou da reunião, informou que teve uma reunião com o secretário de Educação, Pedro Fernandes, e que já está sendo escrito um esboço de protocolo de retorno.
O titular da pasta também garantiu que o retorno só ocorrerá duas semanas após o Estado do Rio estar em bandeira verde.

Comentários