Robinho jogava no Milan em 2013, ano do crime de estupro no qual foi condenadoAFP

Rio - Condenados por crime de estupro na Itália, o atacante Robinho e o amigo Ricardo Falco seguem no radar das autoridades italianas. No entanto, de acordo com o 'UOL', uma fonte da Justiça italiana afirmou que a Polícia Federal brasileira precisa localizar o atleta para dar seguimento aos trâmites do caso.
Robinho e Ricardo Falco foram condenados à nove anos de prisão pelo crime cometido em 2013, em Milão. A dupla não pode mais entrar com recursos no caso, e o nome de ambos entrou para a lista vermelha da Interpol. A Polícia Federal se manifestou ao "Uol" e disse que o atacante não pode ser extraditado.
- Por se tratar de nacional brasileiro, não poderá ser extraditado, tendo em vista a extradição de nacionais ser vedada por nossa Constituição, e nos termos do Artigo VI do Tratado de Extradição firmado entre Brasil e Itália - escreveu a PF em nota.

Robinho segue morando nos apartamentos que é dono, em Santos e no Guarujá.