Flamengo e Volta Redonda se enfrentaram há uma semana
Flamengo e Volta Redonda se enfrentaram há uma semanaDaniel Castelo Branco
Por O Dia
As semifinais do Carioca vão começar. Muitos queriam e esperavam os tradicionais times grandes do Rio, mas Volta Redonda e Portuguesa aprontaram durante a Taça Guanabara e garantiram suas vagas na fase mais importante. Não espero que Flamengo e Fluminense sejam surpreendidos. Ambos vivem ótima fase, com vitórias importantes da Libertadores e grupos qualificados o suficiente para chegarem à final do Cariocão. O Rubro-Negro encara o Voltaço no Raulino de Oliveira, hoje, e o fator casa pode fazer a diferença para um time extremamente organizado como é o do técnico Neto Colucci. É o jogo da vida desses atletas que lideraram a Taça Guanabara por várias rodadas. E é a chance de construir um resultado para depois segurar no Maracanã, onde o Fla já está acostumado a jogar e sobraria na qualidade. A situação da Portuguesa é a mesma com o Fluminense, amanhã, no Luso-Brasileiro. Serão dois grandes jogos que vão animar o fim de semana. Podem me cobrar...
 
Publicidade
PELA TAÇA RIO E O MILHÃO
Vasco, Botafogo, Madureira e Nova Iguaçu vão em busca pela Taça Rio no novo formato do Carioca. Claro que os grandes são os favoritos e, na situação financeira de ambos, é muito importante que o milhão de reais entre no cofre do campeão. Diferentemente das semifinais do Carioca, acho que não teremos zebra na Taça Rio. O Cruzmaltino e o Alvinegro estão bem à frente dos outros dois times na disputa.
Publicidade
SEM TRÊS ESTRELAS
Publicidade
Gabigol (foto), Gerson e Filipe Luís foram reavaliados e não vão enfrentar o Volta Redonda hoje. As estrelas foram poupadas pelos desgastes dos jogos da temporada. Mas isso não é um grande problema. Na frente, Pedro, centroavante que jogaria em qualquer clube do Brasil, entra. No meio, João Gomes dá conta do recado e Renê também sabe o que faz na lateral esquerda. A importância de ter um elenco é essa.
Publicidade
PREJUÍZO ENORME
O Vasco está afundando em dívidas. São 832 milhões de reais em passivos, quase 250 milhões de reais a mais do que há dois anos. Isso com uma dívida de curto prazo de R$ 314 milhões, como divulgou a diretoria no balanço de 2020. Pelo rosto e falas dos responsáveis pela atual administração, como o presidente Jorge Salgado, há salvação e o 2021 vai ser de reconstrução para o Gigante. Resta acreditar nos profissionais. De amadorismo, o Vasco está cheio há 20 anos.
Publicidade