Único engenheiro detentor da MEDALHA DO MÉRITO DA JUSTIÇA CRIMINAL concedida pelo egrégio Tribunal de Alçada Criminal do Estado do Rio de Janeiro. Autor de vários livros sobre Perícias Judiciais, realizou dezenas de cursos sobre o tema que foram ministrados em 24 estados no Brasil e em 8 países
Único engenheiro detentor da MEDALHA DO MÉRITO DA JUSTIÇA CRIMINAL concedida pelo egrégio Tribunal de Alçada Criminal do Estado do Rio de Janeiro. Autor de vários livros sobre Perícias Judiciais, realizou dezenas de cursos sobre o tema que foram ministrados em 24 estados no Brasil e em 8 paísesImagem Arquivo
Por O Dia
Niterói - Niterói perde mais uma de suas grandes figuras vítima da fatídica Covid-19. O engenheiro e professor da UFF Sérgio Antônio Abunahman, 77 anos, pioneiro e grande divulgador de técnicas de avaliação de imóveis, morreu no último dia 7, terça-feira, no Hospital Niterói D’Or. Notícia foi divulgada no site do jornalista Gilson Monteiro.

Muito respeitado, era chamado para fazer avaliações de importantes prédios, como os do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro e do Tribunal Regional Federal, a sede da ONU em Brasília, além de obras de destaque como o BarraShopping, Rio Sul, Plaza Shopping, Fashion Mall, Br Malls, Iguatemi Shopping Center, em São Paulo; muitas redes hoteleiras como o Sheraton, Caesar Park, Sofitel, Othon Palace e o famoso Copacabana Palace.
Competente e eclético, na área naval avaliou, dentre outros, o Estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis; as embarcações Crescent Gipsy, Diane Marie (maior barco atuneiro em operação no Brasil, em 1982), Rhonda Sue e Solana Star, este último por solicitação do Conselho Federal de Entorpecentes, tendo sido a primeira embarcação de traficantes leiloada no Brasil. Era perito de confiança dos maiores escritórios de advocacia do país e consultor de grupos empresariais como Brascan, Bozano Simonsen, Multiplan, Pinto de Almeida, RJZ Engenharia, Yamagata, Wrobel, Grupo Jabor, Agenco e muitos outros.
Publicidade
Sérgio era detentor de muitos títulos honoríficos e o único a receber a Medalha do Mérito da Justiça Criminal do Estado do Rio. Membro de entidades de perícias e avaliações do Brasil, com notória especialidade na área de Engenharia Legal e de Avaliações concedida pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro e pela Universidade Federal Fluminense, recebeu o título de Destaque de Engenharia Nacional concedido pelo Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos.

Diretor do Crea e conselheiro por seis mandatos, foi diretor do Instituto de Engenharia Legal, hoje Ibape, por 10 anos. Ao lado de outro grande mestre em cálculos, seu grande amigo, o professor Almir Antunes, capacitou milhares de engenheiros e arquitetos nas técnicas de avaliação e de elaboração de laudos periciais. Tem livros publicados em espanhol e inglês, além de ter sido convidado para dar cursos e palestras em várias partes do mundo.

Era perito de confiança de dezenas de magistrados da capital e das comarcas, além de atuar nos Tribunais de Justiça do Estado, Federal e do Trabalho, tendo sido o coordenador e professor dos Cursos de Extensão em Engenharia Legal e de Avaliações da UFF, e coordenador da mesma especialidade na PUC.

Deixa viúva Heloísa Abunahman e as filhas Maria Antônia e Maria Sofia. Sobrinho do ex-prefeito Emílio Abunahman, nunca gostou de ocupar cargo de confiança, aceitando excepcionalmente ser chefe de gabinete do secretário Almir Antunes de Obras e Urbanismo, no governo do prefeito Waldenir Bragança. Mas ficou apenas seis meses, desligando-se do cargo com uma emocionante carta de demissão dirigida a Almir, em que destacava a “dedicação hercúlea” do amigo à cidade que estava na época com a prefeitura enfrentando séria crise herdada de administrações anteriores.