Mais Lidas

Vereador indiciado na CPI das Milícias presta depoimento sobre morte de Marielle Franco

No dia da morte da parlamentar, o ex-vereador Cristiano Girão Matias e outro paramilitar estavam no mesmo andar do gabinete de Zico Bacana (PHS)

Por O Dia

Vereador Zico Bacana, que é policial, chegou a ser indiciado na CPI das Milícias, em 2008
Vereador Zico Bacana, que é policial, chegou a ser indiciado na CPI das Milícias, em 2008 -

Rio - Indiciado na CPI das Milícias em 2008, o vereador Zico Bacana (PHS) foi convocado para prestar depoimento na Delegacia de Homicídios da Capital (DH) sobre a morte da vereadora Marielle Franco, na tarde desta quinta-feira. A parlamentar e o motorista Anderson Pedro Gomes, 39 anos, foram mortos a tiros, em 14 de março, no Estácio. Na tarde do mesmo dia, câmeras de segurança flagraram a presença do ex-vereador Cristiano Girão Matias e outro paramilitar no sétimo andar, onde fica o gabinete de Bacana, na Câmara dos Vereadores.

Ao chegar na delegacia, o vereador do PHS disse que os PMs entram sempre nas linhas de investigação da polícia. "Todo policial é cobrado. A Polícia Civil trabalha em cima de provas e denúncias. Minha vinda aqui é mais para elucidar esse crime, que com certeza será resolvido", reforçou.

Bacana afirma que todos deverão ser chamados para depor. "Que o caso seja elucidado. Com certeza todos nós, vereadores, temos que ser investigados como cada cidadão que apareceu naquele dia e que participou do cotidiano dela. 

Polícia ouve vereadores no inquérito que investiga morte de Marielle

Além de Bacana, outros três vereadores foram convocados para prestar depoimento na DH. Os parlamentares Renato Cinco e João Batista Oliveira de Araújo, o Babá, ambos do Psol; e Ítalo Ciba, do Avante, foram intimados para dar informações como testemunhas por causa das relações pessoais de cada um com Marielle nos trabalhos legislativos.

Renato Cinco disse que não poderia revelar o que falou no depoimento de quatro horas para não prejudicar as investigações. No entanto, ele disse que está confiante no andamento do trabalho da polícia para que os culpados sejam identificados.

Para o vereador, a polícia está empenhada em investigar várias possibilidades para esclarecer o crime, uma vez que as perguntas indicaram uma pesquisa ampla.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia