Funcionários da ABBR fazem manifestação no Jardim Botânico

Instituição corre o risco de encerrar as atividades devido a falta de verba

Por Rodrigo Sampaio*

Manifestação de médicos, funcionários e pacientes, na porta da ABBR, no Jardim Botânico
Manifestação de médicos, funcionários e pacientes, na porta da ABBR, no Jardim Botânico -

Rio - Cerca de 200 Funcionários da Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação (ABBR) realizaram uma manifestação em frente ao prédio da instituição, no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio, na manhã desta quarta-feira. O protesto teve como objetivo reclamar sobre falta de repasse de verbas da Prefeitura, que chegaria a R$ 4,6 milhões. Os diretores executivo e financeiro da instituição estão reunidos no gabinete da prefeitura para tentar resolver o problema. 

Segundo a ABBR, nos últimos três meses de 2017, apenas 50% do valor destinado a instituição foi repassado pelo SUS, somando uma dívida de R$ 1,4 milhão. A outra parte do montante é referente a uma quantia garantida por uma emenda parlamentar no valor de R$ 3,25 milhões. Há 22 anos na instituição, o superintendente médico Robson de Bem disse que a crise afeta a associação há cerca de nove meses. 

"Estamos com dificuldade de pagar salário, fornecedores, impostos. A gente não consegue empréstimo bancário ou ajuda financeira de outra maneira. Vai virando uma bola de neve (...) Esse montante é importante para a gente. A partir do momento que o SUS não passa esse valor, a gente não tem condições", disse. 

Galeria de Fotos

Manifestação de médicos, funcionários e pacientes, na porta da ABBR, no Jardim Botânico Estefan Radovicz / Agência O DIA
Manifestação de médicos, funcionários e pacientes, na porta da ABBR, no Jardim Botânico Estefan Radovicz / Agência O DIA
Manifestação de médicos, funcionários e pacientes, na porta da ABBR, no Jardim Botânico Estefan Radovicz / Agência O DIA
Manifestação de médicos, funcionários e pacientes, na porta da ABBR, no Jardim Botânico Estefan Radovicz / Agência O
Manifestação de médicos, funcionários e pacientes, na porta da ABBR, no Jardim Botânico Estefan Radovicz / Agência O
Manifestação de médicos, funcionários e pacientes, na porta da ABBR, no Jardim Botânico Estefan Radovicz / Agência O D
Funcionários da ABBR fizeram manifestação no Jardim Botânico Reprodução Twitter/Centro de Operações

Robson conta que a instituição possui uma oficina ortopédica, que auxilia pacientes amputados. Porém, o atraso no repasse faz com que as pessoas que aguardam uma prótese esperem muito mais do que o necessário.

"A gente tem um gasto com essas peças e não consegue comprar o material. Um paciente demora até seis meses pra receber uma prótese". 

O superintendente também afirma que apesar da falta de pagamento, os funcionários não vão parar com os atendimentos na instituição. "Eu tive funcionário que a creche pediu pra tirar o filho dele de lá porque ele não conseguia pagar, nosso funcionários continuam a trabalhar. (...) Após o fim da manifestação, todo mundo volta ao trabalho"

Referência no atendimento de reabilitação, a ABBR, que atende mil pessoas por mês, corre risco de interromper os atendimentos devido a problemas financeiros. Sem fins lucrativos, a instituição é condicionada a ofertar 60% dos seus serviços ao Sistema Único Saúde (SUS). A crise se agravou ao longos dos anos, uma vez que o Ministério da Saúde do Rio não revisou a tabela dos serviços prestados e também não repassou a verba do SUS por serviços prestados em 2017.

"Sou paciente assistido e soube das sérias dificuldades da ABBR. Com a ameaça de fechar, muitos adultos e crianças vão se prejudicar. Com isso, funcionários farão uma manifestação pacífica nesta quarta", informou um paciente.

O DIA entrou em contato com a Prefeitura, que confirmou a reunião com os diretores da ABBR.

Em nota, a Prefeitura do Rio informou que, após a reunião, ficou definido o pagamento da dívida de R$ 1,3 milhão. Foi decidido, também, com a Casa Civil, a Secretaria Municipal de Fazenda (SMF) e a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em acordo com a ABBR, que o repasse de R$ 3,25 milhões oriundos de emendas parlamentares para a entidade será feito mensalmente, onde a 1ª parcela corresponderá a 20% do valor total da verba e será efetuada ainda em setembro.

Estagiário sob supervisão de Cadu Bruno

Últimas de Rio de Janeiro