Crivella diz que parceria com Planalto praticamente parou no governo Bolsonaro

Prefeito do Rio culpa falta de repasses de recursos federais por segunda tragédia após temporais no Rio este ano

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Marcelo Crivella em coletiva no Centro de Operações Rio (COR)
Marcelo Crivella em coletiva no Centro de Operações Rio (COR) -

Rio - O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, culpou a falta de repasse de recursos federais para investir em manutenção e remoção de pessoas em áreas de risco como principal causa da segunda tragédia que ocorre na cidade após fortes chuvas. Até o momento, três pessoas morreram em decorrência da tempestade que alagou as ruas da cidade a partir do início da noite desta segunda-feira, 8, que se somam às dez mortes ocorridas durante as enchentes de fevereiro. As chuvas continuam nesta terça-feira

Segundo Crivella, apesar de ter ido a Brasília "várias vezes", até hoje, passados três meses do governo Bolsonaro - cuja base eleitoral é no Rio de Janeiro, assim como de dois dos seus três filhos -, ainda não foi assinado o repasse de verba para cuidar da rede pluvial, despoluir rios e remover pessoas que vivem em áreas de risco.

Sem citar valores, Crivella reclamou que desde que Bolsonaro assumiu o governo, até mesmo os contratos que já estavam assinados na época do governo Michel Temer estão parados. "Nossas parcerias com o governo federal, nesse primeiro ano Bolsonaro, praticamente pararam", disse em coletiva nesta manhã no Centro de Operações Rio (COR).

Procurados, tanto a Prefeitura como o Ministério do Desenvolvimento Regional não souberam informar imediatamente qual seria o valor dos repasses nem o motivo para a falta dos mesmos.

Comentários