Polícia pede informações sobre Fabinho do São João e quadrilha da Zona Norte

Fabinho é um dos principais alvos da ação, batizada de Operação Coirmãos, contra traficantes de morros da Zona Norte, que prendeu 13 pessoas nesta quinta-feira

Por O Dia

Fabio Pinto dos Santos, o Fabinho do São João, é procurado pela 25ª DP (Engenho Novo)
Fabio Pinto dos Santos, o Fabinho do São João, é procurado pela 25ª DP (Engenho Novo) -
Rio - Após uma operação contra traficantes de morros da Zona Norte do Rio que prendeu 13 pessoas entre a madrugada e a tarde desta quinta-feira, a polícia busca informações sobre o paradeiro do traficante Fabio Pinto dos Santos, o Fabinho do São João, e sua quadrilha.
Fabinho é um dos principais alvos da ação, batizada de Operação Coirmãos, contra traficantes dos morros São João, da Matriz e do Quieto e na Favela do Rato Molhado, no Engenho Novo e Sampaio, na Zona Norte do Rio. Outras 14 pessoas são procuradas, além de dois adolescentes infratores.
As investigações começaram há um ano, quando os policiais descobriram o esquema usado pelos líderes do tráfico de drogas para, mesmo à distância, continuarem exercendo domínio sobre essas regiões.
Fabinho foi preso em 2009 e cumpriu pena no presídio federal de segurança máxima de Campo Grande (MS), após ser transferido do Complexo de Bangu (Zona Oeste), até ser solto em setembro de 2016, com sua sentença cumprida. 
Ao deixar a prisão, Fábio procurou a a Central Única das Favelas (CUFA), uma ONG que promove a integração e a inclusão social. Ele escreveu uma carta, entregue em mãos a um juiz e um desembargador, afirmando sua intenção em deixar o crime. No entanto, segundo as investigações, seu envolvimento com a ONG era apenas um disfarce para encobrir a atuação no tráfico.
Fabio Pinto dos Santos, o Fabinho do São João, é procurado pela 25ª DP (Engenho Novo) - Divulgação/Portal dos Procurados
Quem tiver qualquer informação a respeito da localização de Fabio Pinto dos Santos e sua quadrilha, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo Facebook (inbox), pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo "Disque Denúncia" para celular. O Anonimato é garantido.
Todas as informações sigilosas serão enviadas para 25ª DP (Engenho Novo).
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários