Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, esteve na sede da Fiocruz nesta segunda-feira
Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, esteve na sede da Fiocruz nesta segunda-feiraJorge Costa / Agência O Dia
Por *Jorge Costa
Rio - O diretor da fábrica Bio-Manguinhos da Fiocruz, Maurício Zuma, anunciou o início produção em larga escala da vacina Oxford/AstraZeneca, em coletiva da imprensa realizada nesta segunda (8). Inicialmente, serão produzidas cerca de 250 mil até 300 mil doses por dia do imunizante. A fabricação das vacinas será gradativamente ampliada e até o final do mês a Fiocruz poderá desenvolver até 1 milhão de doses.
O anúncio foi feito após reunião em que estiveram presentes o ministro da saúde, Eduardo Pazuello, representantes da Fiocruz e o governador do Piauí Wellington Dias, que representou o Fórum Nacional dos Governadores.
Publicidade
De acordo com o diretor da Bio-Manguinhos, Maurício Zuma, a Fiocruz deve concluir a produção de vacinas do primeiro lote dos insumos do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), que preveem a fabricação de 400 mil doses de vacina.
Esse primeiro lote seria o de pré-validação, onde é verificado se o processo está totalmente adequado para a produção.
Publicidade
Ele anunciou ainda que nesta semana começa a segunda fase, com o uso em grande escala do segundo lote.
"Mantemos a produção destes lotes e iremos começar nesta semana a 2° linha, vamos produzir 250 a 300 mil doses por dia, essa é a primeira quantidade, e depois disso vamos escalonar para expandir a capacidade de fabricação. A nossa perspectiva é de entregar cerca de 3,8 milhões de vacinas para uso até o final do mês. Também discutiremos com a Anvisa a possibilidade de antecipação da autorização definitiva, para que possamos utilizar essas novas doses fabricadas", afirmou o diretor.
Publicidade
No Brasil, o ministro da saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que 25 a 28 milhões de doses serão distribuídos até março, por meio da produção nacional pela Fiocruz e o Instituto Butantã, além de importações da Coreia do Sul, Estados Unidos e Índia.
*Estagiário sob supervisão de Thiago Antunes