Obras na Marquês de Sapucaí atrasam ensaios técnicos das escolas de sambaFabio Costa/Agência O DIA

Rio - Faltando 55 dias para os desfiles de carnaval do Grupo Especial na Marquês de Sapucaí, no Centro do Rio, a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) ainda não definiu as datas dos ensaios técnicos das agremiações. Segundo a Liga, por causa das obras de melhoria na Avenida, o calendário ainda não foi fechado.
Nesta segunda-feira, a Marquês de Sapucaí estava com funcionários da prefeitura do Rio atuando no recapeamento da avenida. "Em breve a data será anunciada. Sobre os protocolos referentes da Covid-19, a LIESA esclarece que seguirá todas as orientações dos órgãos competentes e protocolos vigentes", disse a instituição, em nota.
A Secretaria de Conservação do Rio informou que estão em andamento a implementação de melhorias no sistema de drenagem e na captação de águas pluviais, por meio da construção de novas caixas de ralo e bocas de lobo, no Sambódromo da Marquês de Sapucaí, bem como a execução dos serviços de fresagem na pista. "O recapeamento da pista, com a aplicação de massa asfáltica, está previsto para ser entregue na segunda quinzena de janeiro", disse em nota. As obras foram iniciadas no dia 22 de dezembro.
Segundo a porta-bandeira da Beija-Flor, Selminha Sorriso, o atraso no fechamento das datas oficiais dos ensaios técnicos não será um problema para as escolas de samba, já que muitas delas estão ensaiando na própria quadra. Bastante animada para o retorno dos desfiles, a porta-bandeira que o carnaval poderá ser o começo de um novo tempo. "Vai dar certo, já deu certo. Que o carnaval seja o começo de muitas felicidades e sonhos para 2022. Dizem que o ano só começa depois do carnaval, então que seja um ano a partir do carnaval maravilhoso. É o maior carnaval do mundo, né?", disse Selminha.
Para a experiente porta-bandeira, as obras são mudanças necessárias para que o desfile seja bom não somente para os integrantes das escolas, mas também para os brasileiros e turistas. "Estamos felizes que a pista e estrutura do sambódromo, que é lugar de turismo e resistência cultural, ficarão melhores em condições de nos receber", disse.
Em dezembro de 2021, o Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 (CEEC) disse que o carnaval carioca poderia seguir sem restrições. Logo em seguida, o prefeito Eduardo Paes esclareceu, pelas redes sociais, que a decisão do comitê foi feita a partir da análise atual da cidade, mas que pode ser alterada já que a festa só acontecerá em março. No Twitter, Paes afirmou que a festa será feita de acordo com o cenário do Rio na data da sua realização, e que cada comemoração - seja na rua, ou na Sapucaí - será avaliada separadamente. "E, como já disse, vamos ter que diferenciar as diferentes formas de celebração. A Sapucaí permite controles. Na rua é mais difícil", explicou o prefeito.
Escolas de samba seguem trabalhando a todo vapor
Enquanto isso, as escolas de samba seguem o seu planejamento para entrarem na Sapucaí no final de fevereiro. O DIA percorreu os barracões para conferir o andamento dos trabalhos na Cidade do Samba.
Na atual campeã do Grupo Especial, a Viradouro, o diretor de carnaval Alex Fab revela que 75% das fantasias estão prontas, entre alas de comunidade, composições e de grupos coreografado. Sobre o conjunto de alegorias, três em processo de finalização. "Até o fim de janeiro, outras duas devem estar concluídas, restando uma última pra finalização em meados de fevereiro", garantiu.
Segundo Thiago Monteiro, diretor de carnaval da Grande Rio, o cronograma prevê a finalização de todo o trabalho de alegorias e fantasias na primeira quinzena de fevereiro. "O nosso barracão está a todo vapor. Em termos de fantasias, a Grande Rio está com todas as alas em fase de reprodução há dois meses, com algumas já praticamente prontas. Os carros estão, em sua maioria, na madeira, com dois já na fase de decoração.