Honda Accord: japonês querendo ser alemão

Linha 2019 de sedã médio topo de linha tem visual ousado e motor menor que surpreende no desempenho

Por Lucas Cardoso

Honda Accord
Honda Accord -
Rio - A décima geração do Accord prova que a Honda descobriu a fonte da juventude. Com 42 anos de jornada, o sedã médio de alto padrão da marca japonesa acumula recordes de vendas em outros mercados, mas precisava se renovar para atrair novos clientes. E foi isso que os engenheiros fizeram ao dar ao modelo um motor menor de 256 cv, visual mais agressivo e novos itens de tecnologia. Em versão única (Touring), o 'classudo' é vendido por R$198.500.
Tradicionalmente um carro conservador, o Accord resolveu sair da sua zona de conforto para oferecer mais do que o habitual aos seus proprietários. Equipado com um motor de quatro cilindros emprestado da versão apimentada do Civic, a Type-R, o modelo tem desenvoltura para fazer inveja nos rivais mais tradicionais de marcas alemãs. Durante uma semana, O DIA rodou por mais de 400 km com o modelo e pôs à prova as suas qualidades.
Honda Accord - Divulgalção
A desenvoltura vem acompanhada de um visual luxuoso já conhecido pelos proprietários do Accord. As linhas são sóbrias e ao mesmo tempo desafiadoras, como é o caso da dianteira, que ficou mais imponente com o capô alto. A grande tomada de ar e o gigante aplique cromado que toma a porção de ponta a ponta também colaboram para a impressão de robustez. Os faróis em Full-LED com elementos que mais parecem cristais complementam a estética.
'MODELO INVOCADO'
A lateral tem linhas que dão ao modelo um ar de coupé. Vale ressaltar que o sedã japonês tem 2,83 metros de entre-eixos, tamanho de sobra para ninguém colocar defeito. É grande espaço para os joelhos de quem senta na segunda fileira. Na parte traseira, as lanternas lembram um 'boomerang', assim como as do Civic. Além disso, o modelo tem escape duplo cromado. As peças deixam o modelo ainda mais invocado. Entre os destaques, não podemos esquecer do teto solar elétrico.
Honda Accord - Lucas Cardoso
O interior do modelo é outro ponto a favor para a Honda. Nada de excessos e apliques de madeira chamativos. O Accord traz acabamentos em couro de boa qualidade, uma central multimídia gigante de oito polegadas com todas as funções necessárias. Entre elas, uma incomum: ao dar a seta para a direita, a tela mostra a imagem de uma câmera instalada no retrovisor. O sistema é mão na roda pois reduz o risco de ter um carro no seu ponto cego.
Seguindo o alto padrão tecnológico, o painel de instrumentos também traz uma tela colorida. Contudo, o equipamento não traz muitas informações ou espelha o mapa, como o sistema de alguns concorrentes. O revestimento em couro macio do volante multifuncional mostra o cuidado da marca em agradar seus clientes. A peça tem bases achatadas e combinada à posição de guiar mais o bom suporte para pernas e costas garantidos pelo banco, deixam o modelo ainda mais na mão.
Não podemos esquecer das tradicionais aletas atrás do volante. O console central também acomoda o sistema de ar-condicionado digital de duas zonas, que poderia ter três, já que a fileira traseira de assentos tem saídas exclusivas de refrigeração.
 Comportamento dinâmico
Equipado com um motor 2.0 Turbo com injeção direta, comando de válvulas VTEC e duplo VTC capaz de gerar 256 cv e 37,5 quilos de torque, o sedã rendeu bem no período de avaliação. A força sobra e o carro nem parece ter quase uma tonelada e meia. Basta pisar no acelerador e fica fácil chegar a uma conclusão: não tem ladeira, ultrapassagem ou retomada que segure o japonês. O Accord prova o quão bom é pisar no acelerador e ver o ponteiro subindo. Segundo a Honda, o modelo é capaz de acelerar de zero a 100 km/h em menos de 6 segundos.
-
A transmissão automática de dez velocidades é controlada por botões no console. O câmbio é bem regulado e não apresentou nenhum tranco em acelerações ou reduzidas mais bruscas. Aliás, o câmbio também se mostrou suave em saídas. Nada de tranco ao escolher a opção drive.
O sistema também tem os modos Eco, para uma condução mais suave e econômica, e o Sport, que aumenta a relação entre as marchas para dar ainda mais vigor ao sedã. Mas cuidado com essa opção: tal desempenho cobra do consumo. No percurso, a média obtida foi de 8,6 km/l.
O sistema de suspensão é um show à parte. Além de garantir boa absorção para quem vai na cabine, o conjunto colabora com o isolamento acústico impecável do modelo. Como era de se esperar para um modelo nessa faixa de preço.
Tecnologia
 
 
 
 
 
 
Inteligente, o Accord traz sistemas de condução semi-autônoma. Há controle de cruzeiro adaptativo, que mantém uma distância segura em relação ao carro da frente de maneira independente, sistema de assistência de faixa, que mantém o veículo dentro dentro da faixa, e o popular piloto automático. Além disso, o modelo também conta com sistemas de segurança importantes como oito airbags — frontais, laterais, de cortina e de joelhos para motorista e passageiro —, controles eletrônicos de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa e de frenagens de emergência.
 
 
 
 
 
 
Ficha Técnica
Preço: R$ 198.500
Motor: 2.0, quatro cilindros, gasolina
Potência: 256 cavalos disponíveis a 6.500 rpm
Torque: 37,7 quilos entregues a 1.500 rpm
Transmissão: Automática de dez velocidades
Suspensão: McPherson (dianteira), multibraços (traseira)
Freios: Discos ventilados (dianteira), sólidos (traseira)
Dimensões: Comprimento (4.88 m), largura (1.86 m), altura (1.46 m), entre-eixos (2.83 m), porta-malas (574 l) e tanque (56 l)
Consumo médio (cidade/estrada): 8,6 km/l
0 a 100 km/h: 5,7 segundos
Velocidade Máxima: 203 km/h
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Galeria de Fotos

Honda Accord Divulgalção
Honda Accord Lucas Cardoso
Honda Accord Lucas Cardoso
Honda Accord Lucas Cardoso
Honda Accord Lucas Cardoso
Honda Accord Lucas Cardoso
Honda Accord Lucas Cardoso
Honda Accord Lucas Cardoso
Honda Accord Lucas Cardoso
Honda Accord Divulgalção
Honda Accord Divulgalção
Honda Accord Divulgalção

Comentários