Amigas e vizinhas, Letícia e Lauane estão desaparecidas há 4 dias, após saírem de casa, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense
Amigas e vizinhas, Letícia e Lauane estão desaparecidas há 4 dias, após saírem de casa, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense Arquivo Pessoal
Por Charles Rodrigues
Familiares e amigos realizam buscas e mobilização nas redes sociais para encontrar o paradeiro das meninas Letícia Lima da Silva, de 12 anos, e Lauane kristine Tiago,14, que estão desaparecidas, desde o último sábado, após saírem de casa, no bairro Nova América, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.
Antes do sumiço, Lauane e Letícia teriam comunicado aos pais que iriam a uma lanchonete, no bairro vizinho, em Miguel Couto, mas não retornaram. De acordo com familiares, as adolescentes nunca ficaram fora de casa sem avisar, tampouco apresentavam mudanças de comportamentos ou motivos para fuga.
Publicidade
Desesperada, a repositora de supermercado Adriana Lima da Silva, de 39 anos, mãe de Letícia, confeccionou cartazes, com fotografias das meninas e está divulgando nas redes sociais. Ela segue à procura da filha, realizando buscas e pedindo ajuda por onde passa.
“São meninas sem experiência, que podem estar em risco de vida, sofrendo algum tipo de violência ou necessitando de ajuda. Disseram que elas poderiam estar em outro município, mas nada confirmado. Só queremos as nossas filhas de volta. Quem tiver informações, por favor, avise às autoridades”, disse, emocionada, Adriana.
Publicidade
Investigações- O caso foi registrado na 52ª DP (Nova Iguaçu), mas será encaminhado à Divisão de Procura de Paradeiros (DPP), na Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), que deixa à disposição da população o telefone (21) 98596-7442 (whatsapp) e ressalta a importância da colaboração com informações e denúncias, com garantia de total anonimato.


‘Recebemos diversas informações, mas todas desencontradas”
As circunstâncias dos desaparecimentos ainda estão sendo investigadas pela polícia, embora, segundo as famílias, todas as informações recebidas estejam sendo checadas. “Disseram que elas estariam circulando pelos bairros Miguel Couto e Figueiras, contudo, não foram encontradas. A possibilidade de uma das meninas ter seguido para casa de um suposto namorado, em outro município, também está sendo investigada. Recebemos diversas informações, mas todas desencontradas”, ponderou Adriana Lima, mãe da Letícia.

Em janeiro, Baixada registrou 95 desaparecimentos
Publicidade
A Baixada Fluminense registrou 95 desaparecimentos de pessoas, no mês de janeiro de 2021, de acordo com o último boletim de dados fornecido pelo Instituto de Segurança Pública (ISP). No mesmo período, em todo o estado do Rio de Janeiro, ocorreram 383 sumiços. No último dia 27 de março, o emblemático desaparecimento dos três meninos de Belfort Roxo, completou três meses, ainda sem solução. A Polícia Civil informou, no entanto, que continua realizando diligências e investiga a possibilidade do envolvimento de traficantes de drogas no caso.