Por clarissa.sardenberg

Rio - Matheus Saroli, filho do técnico paranaense Caio Júnior publicou no Facebook na manhã desta terça-feira que não embarcou com o pai no avião que caiu com a equipe da Chapecoense porque esqueceu seu passaporte. Na publicação, ele pediu força e informou que estava em São Paulo.

"Amigos, eu, meu irmão e minha mãe estamos bem. Precisamos de força e peço que nos deem um pouco de privacidade, especialmente para minha mãe. (...) Somos fortes, vamos passar por isso. Obrigado a todos", disse Matheus.

Pai e filho: Caio Júnior e o filho Matheus em partida de futebol em 2013Reprodução Facebook

Caio Júnior é uma das vítimas do acidente que matou ao menos 75 na Colômbia, na madrugada desta terça-feira. O avião tinha 81 pessoas a bordo, sendo 72 passageiros, entre delegação e jornalistas, e 9 tripulantes.

Seis pessoas sobreviveram: o lateral-direito Alan Ruschel (Alan Luciano Ruschel), o goleiro reserva Follmann (Jackson Ragnar Follmann), o zagueiro Neto (Helio Hermito Zampier Neto) e o jornalista Rafael Henzel, além dos tripulantes Erwin Tumiri e Ximena Suárez.

Matheus Saroli entre os pais em foto publicada recentemente no Instagram Reprodução Instragram

O goleiro Danilo (Marcos Danilo Padilha) — herói da classificação à final da Copa Sul-Americana ao fazer uma defesa importante nos acréscimos contra o San Lorenzo — foi resgatado com vida pelos bombeiros, mas morreu no hospital por voltas das 9h30 (horário de Brasília).

As causas do acidente são desconhecidas. As autoridades trabalham com hipótese de pane elétrica e falta de combustível (pane seca). Na emergência do voo, o piloto teria aberto os tanques de combustível para evitar a explosão da aeronave na queda. O avião não explodiu.

Caio Júnior

Nascido em Cascavel, no Paraná, ele tinha 51 anos. Na carreira de jogador passou por clubes como Paraná Clube e Iraty. A Chapecoense foi o 17° time comandado por ele. O paranaense deixou mulher e dois filhos.

Como técnico de futebol, Caio Júnior esteve à frente do Paraná Clube, Gama, Londrina, Palmeiras, Goiás, Flamengo, Vissel Kobe (Japão), Al Gharafa (Catar), Botafogo, Grêmio, Al Jazira (Emirados Árabes), Bahia, Vitória, Criciúma e Al Shabab (Emirados Árabes).

Seu primeiro destaque como técnico no cenário nacional veio em 2005, quando no comando do Cianorte, a equipe venceu o Corinthians por 3X0.

Ele também atuou como comentarista esportivo de TV e rádio em Curitiba. No estado também foi supervisor de futebol do Coritiba.

A Chapecoense faria nesta quarta-feira o primeiro confronto da decisão da Copa Sul-Americana com o Atlético Nacional, no que seria a maior partida da história do clube de Santa Catarina. O jogo foi cancelado pela Confederação Sul-Americana.

Você pode gostar