Por O Dia
Gabriel Barbosa, o Gabigol, ou Gabi, como quer ser chamado, foi flagrado em um cassino clandestino, em São Paulo, com mais de 200 pessoas presentes no local. O atacante do Flamengo não jogou o Fla-Flu, mas se reapresentaria nesta semana e teria contato com jogadores, comissão técnica e outros funcionários do Rubro-Negro. Num momento de discussão sobre a paralisação do futebol, um ídolo erra. Estamos falando de uma referência para crianças e adultos. O principal jogador do futebol brasileiro mostrou que não está se cuidando, como muitos no Brasil, mas Gabigol só ele. Situação que ainda gera complicações para quem defende a segurança do futebol em meio à pandemia. Ídolos erram. São seres humanos. O mais importante é reconhecer a gravidade da falha, pedir desculpa e entender que uma pessoa do tamanho dele não pode dar exemplos como esse. Ao Gabriel, pelo bem dele e de todos que estão ao redor, desejo sabedoria para se retratar pois, assim como seus belos gols, precisamos de belas atitudes num momento tão grave.
BOMBA DO ALÍVIO PARA O TRICOLOR
Publicidade
Roger Machado estava caminhando para uma estreia sem graça e com uma atuação abaixo do esperado, mas foi o dedo dele que apertou o botão da vitória. E da bomba que soltou Igor Julião. No meio do segundo tempo, ele colocou o lateral de origem para atuar como terceiro homem de meio-campo e deu muito certo. Primeiro gol — e que gol — da revelação de Xerém com a camisa tricolor, logo num Fla-Flu, e na estreia do comandante. Grande fase!
Publicidade
VOLTAÇO VOANDO
É de uma alegria imensa ver como, a cada ano, o Volta Redonda vai melhorando de rendimento e como clube. Hoje lidera o Carioca e está invicto na competição. Sempre gosto de destacar o artilheiro João Carlos, que já tem três gols, e continua balançado as redes ano após ano. Uma coisa me parece bem encaminhada: o Voltaço vai seguir brigando na cabeça, como tem sido na história recente do Cariocão.
Publicidade
ELE SERÁ IMPORTANTE
Publicidade
Castan vive um impasse sobre seu futuro no Vasco. Capitão nos últimos três anos, a torcida e o jogador parecem desgastados, mas Marcelo Cabo já disse que quer contar com ele. Está certo. Castan será muito importante na reconstrução e não pode receber a culpa sozinho pelo que aconteceu em 2020. Há muitos outros culpados na frente dele. O grupo o respeita. Acertando a redução salarial (ganha cerca de 300 mil), o melhor é permanecer e participar desse retorno.
Você pode gostar
Comentários