O Impacto da Covid-19 no Turismo de Rio das Ostras e Região dos Lagos

Neste momento de pandemia, a cidade encontra-se sem turistas, com barreiras sanitárias e foi declarada como Estado de Calamidade Pública

Por Ana Clara Menezes

Rio das Ostras possui cerca de 7 mil veranistas, que vem à cidade nos feriados, férias e datas importantes
Rio das Ostras possui cerca de 7 mil veranistas, que vem à cidade nos feriados, férias e datas importantes -
Rio das Ostras - A pandemia da Covid-19 mudou a realidade de todo o planeta, pois além de atacar a saúde das pessoas, também impactou a estrutura econômica da sociedade. Diante disso, o primeiro setor e um dos mais afetados, foi o turístico. O O Dia realizou uma entrevista exclusiva com a secretária de desenvolvimento econômico e turismo do município de Rio das Ostras, Aurora Siqueira, que comentou os prejuízos causados na cidade e Região dos Lagos por conta do isolamento social provocado pelo novo coronavírus.
Segundo a Prefeitura de Rio das Ostras, o município alcançou cerca de 85% da hotelaria ocupada na alta temporada e movimentou cerca de R$ 33 milhões no Verão, neste ano. Além de ser um dos destinos mais procurados na Região do Lagos, a cidade possui aproximadamente 7 mil veranistas, de acordo com a Pesquisa de Impacto Econômico, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.
Neste momento de pandemia, a cidade encontra-se sem turistas, com barreiras sanitárias e foi declarada pelo prefeito Marcelino Borba, em Estado de Calamidade Pública. Nesse contexto, a secretária de turismo, Aurora Siqueira, disse que, o objetivo da gestão municipal é zelar pela vida:
“Estamos com barreiras, suspendemos as excursões, hotelaria fechada e grande parte do comércio também. A nossa mídia social está trabalhando intensamente para fornecer todas as informações necessárias aos turistas, tanto neste momento, que precisamos conter as visitas, como a nossa espera e vontade para voltar a recebê-los bem. A Assessoria de Comunicação inclusive está desenvolvendo uma campanha publicitária para dizer que a cidade estará pronta para receber os turistas, assim que for possível, afirmou. Acrescentando que, “As pessoas estão mais conscientes, que o melhor é ficar em casa no momento”.
Rio das Ostras já tinha o calendário de eventos confirmado para 2020 e sobre o cancelamento das atrações, Aurora disse que, a palavra correta é “adiado”, em vez de “cancelado”.
“Quando começou o isolamento, estávamos com um evento acontecendo, o “Energia na Praia” em parceria com a Enel e logo na semana seguinte teríamos o “OstrasCycle” que é um evento que consta no Calendário Estadual. Tivemos que cancelar o 2º Festival de Couvert, que por sinal, esse ano seria um dos maiores do mundo gratuito, em termos de número de bandas inscritas. E agora recomeçaríamos o “Rio das Ostras Instrumental”, com apoio de empresas privadas, onde teríamos atrações, uma vez ao mês, para levar uma divulgação melhor da música. E no mês de junho, teríamos o “Rio das Ostras Jazz & Blues Festival”, que eu não gosto de falar cancelado, prefiro falar adiado, pois não sabemos o que vem pela frente. Nós não fizemos esses eventos, mas precisamos ficar na esperança, para que assim que tudo isso passar, retomarmos esses projetos”, explicou.
Questionada sobre quais medidas a Secretaria de Turismo está tomando para a cidade não cair no esquecimento dos turistas, a secretária disse que a ideia é manter o calendário de eventos, mas que existe o problema do ‘quando’. “Serão 6 meses? Não sabemos! É muito incerto, a gente não conhece esse vírus, então fica bem difícil afirmar a execução de algum projeto. Estamos trabalhando para que, na hora que o isolamento acabar, saibamos como agir, o que fazer, qual será mais viável e de qual forma”, frisou.
O spoiler divulgado durante a entrevista foi o anúncio da nova data do Festival de Jazz & Blues. “Temos a sorte de ter muitos parceiros conosco e disposto a superar esse momento. O spoiler é o nosso queridinho “Jazz & Blues”. Terminando a ‘coronacrise’, o Jazz será o primeiro a acontecer, pois é conhecido mundialmente, com presença de músicos internacionais. Está pré-agendado para os dias 9 a 12 de outubro. Pois, é um dos 5 maiores do mundo, importante para o estado e movimenta toda a região”, afirmou com otimismo.
União do Turismo das cidades da Região dos Lagos
Segundo a gestora de turismo de Rio das Ostras, as cidades da região estão se reunindo para pensar medidas unificadas para o pós ‘coronacrise’, a fim de minimizar o impacto da pandemia.
“Antes, a gente via um pouco de ciúme entre as cidades, uma querendo aparecer mais que a outra, mas agora está bem diferente. Estamos fazendo diferente e chegamos no consenso que, se não trabalharmos juntos, será mais difícil e o Governo do Estado também está se propondo em fazer campanhas de marketing para nossa região, também unificando calendários, para um (evento) não atrapalhar o outro”, contou Aurora, afirmando ainda que: “Quando o turista vem para um evento numa cidade, ela conhece as cidades do entorno”.
O município de Rio das Ostras possui cerca de R$5,5 milhões de verba pública, destinados para investimentos em projetos turísticos, além de mais ou menos R$ 3 milhões de verba, oriunda de convênios federais, direcionadas unicamente para obras de turismo, somando R$ 8,5 milhões para investimentos no Turismo.
A cidade arrecadou, numa média de 2019 até abril de 2020, cerca de 8,8% do total de Imposto Sobre Serviços (ISS) somente com serviços ligados à atividade turística, sem contar com a Zona Especial de Negócios, responsável por 69% da arrecadação deste imposto no Município.
As atividades de desenvolvimento econômico e turismo são responsáveis por 77,8% do ISS do Município, totalizando mais de R$ 62,6 milhões da média de arrecadação total desses imposto.
Os números mostram que a cidade valoriza e depende do segmento turístico para se manter ativa, recebendo turistas e se destacando na região. Neste sentido, Aurora Siqueira, disse que o município está estudando formas de diminuir as despesas, já que a arrecadação vem caindo, muito em função da crise econômica mundial.

“O que faço como gestora da pasta é ser parceira e interlocutora dos comerciantes, artesãos e feirantes. Estamos tentando ajudar dentro das nossas possibilidade. A Secretaria de Bem Estar Social também está apoiando para que as pessoas consigam o Auxílio Federal de R$ 600, ajudando (a manusear) o aplicativo da Caixa. Além de termos empresários e população realizando campanhas de doações. Temos estamos distribuindo os kits de gêneros alimentícios para os alunos da rede municipal de ensino. As pessoas estão procurando a prefeitura para unir forças e ajudar famílias necessitadas”, enfatizou.
Finalizando a entrevista, Aurora disse que, esse é o momento da vida e de união. “A esperança não pode morrer nunca, estamos aqui trabalhando intensamente para essa volta... Temos certeza de que, as pessoas vão querer conhecer novos lugares... O turismo sendo como uma das maiores arrecadações do país, continuaremos acreditando, vamos superar”, destacou.
Assista a entrevista completa: 

Comentários