Porta-voz diz que Bolsonaro não comentou fuzilamento de carro de família no Rio

Otávio do Rêgo Barros limitou-se a dizer que presidente confia na Justiça Militar e nos esclarecimentos do Exército

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Jair Bolsonaro não comentou o fuzilamento do carro de uma família em Guadalupe, no Rio
Jair Bolsonaro não comentou o fuzilamento do carro de uma família em Guadalupe, no Rio -

Rio - O porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, afirmou nesta segunda-feira que o presidente Jair Bolsonaro "não comentou" o fuzilamento do carro de uma família em Guadalupe, na zona norte do Rio, no domingo. O músico Evaldo Rosa dos Santos, de 46 anos, morreu depois que o carro foi alvejado por mais de 80 tiros.

Ao ser questionado sobre o assunto, Rêgo Barros limitou-se a dizer que "confia na Justiça Militar, nos esclarecimentos que o Exército dará por meio do inquérito e espera que eventos de igual similitude não venham a ocorrer". "Ele não comentou, mas confia na Justiça Militar, nos esclarecimentos que o Exército dará por meio do inquérito e espera que eventos de igual similitude não venham a ocorrer", disse o porta-voz após cerimônia de sanção do novo cadastro positivo, no Palácio do Planalto.

 

Comentários