Valéria Pedreira, esposa de Valmir Pedreira
Valéria Pedreira, esposa de Valmir PedreiraEstefan Radovicz/Agência O DIA
Por Yuri Eiras
Rio - Familiares de Valmir Pereira Cândido, de 42 anos, contestam a versão da polícia de que o montador de andaimes estava próximo a traficantes durante o tiroteio no último sábado (6), no Morro dos Macacos, em Vila Isabel. Além de Valmir, outras quatro pessoas morreram. Ele foi enterrado no início da tarde desta segunda-feira (8), no Cemitério do Catumbi.
Publicidade
Vídeos que circulam nas redes mostram policiais recolhendo os corpos na viatura. Um dos moradores chega a gritar que "não tem nem mais espaço no camburão".
Em nota, a Polícia Militar disse que após o confronto, equipes encontraram "cinco suspeitos feridos" na localidade conhecida como Terreirinho. Naquela região há uma boca de fumo que serve de abrigo de traficantes. A família, no entanto, nega que Valmir tenha sido atingido ali. Para eles, a versão da PM dá a entender que ele estaria próximo dos traficantes, mas Valmir estaria num bar ao lado de casa, decidindo com amigos detalhes da nova camisa da torcida organizada 'Fla-Macacos'.
Publicidade
"Meu marido está numa rua, e os bandidos estão na rua de cima. Eu filmei o bar, todo sujo, com os buracos na parede. Não estavam no mesmo lugar. E outra: cinco suspeitos, não. Meu marido era trabalhador", defende Valéria Pereira, esposa de Valmir. "Ele estava numa região chamada B13, que é justamente onde os moradores costumam se reunir para assistir jogos, confraternizar. É um ponto de encontro da torcida", completa.
PM diz que levou cinco feridos, mas Hospital do Andaraí afirma que já chegaram mortos
Publicidade
A versão da Polícia Militar de que encontrou cinco homens feridos também foi refutada por moradores. Vídeos mostram policiais recolhendo os corpos na viatura.
"O meu marido é o primeiro (a ser colocado na viatura). E os outros corpos jogados por cima. Igual bicho. Mas meu marido não era bicho, era trabalhador", afirmou a esposa.
Publicidade
O Hospital Federal do Andaraí, via Ministério da Saúde, afirmou que os cinco homens já chegaram mortos à unidade.
O que diz a Polícia
Publicidade
Em nota, a Polícia Militar informou que, "neste sábado (6) equipe da 5ª UPP/6º BPM-UPP Macacos foi atacada por criminosos armados durante policiamento na localidade conhecida como 'Terreirinho', no Morro dos Macacos, em Vila Isabel. Houve revide, e após cessar o confronto, uma busca foi feita na região e a guarnição localizou cinco suspeitos feridos. Com eles foram arrecadados 01 fuzil, 02 pistolas, 02 granadas, farto material entorpecente, dinheiro em espécie (ainda a ser contabilizado).
Os suspeitos feridos foram socorridos ao Hospital Federal do Andaraí. Policiamento segue reforçado na região.
Publicidade
As circunstâncias dos casos citados envolvendo policiais militares são objeto de inquéritos instaurados pela Delegacia de Homicídios. Paralelamente, como é de praxe, a Corporação instaurou Inquérito Policial Militar (IPM) para avaliar a conduta das equipes envolvidas nas ocorrências".
Segundo a Polícia Civil, o caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital (DHC). "As armas dos policiais militares que participaram da ação serão periciadas para confronto balístico. Testemunhas serão ouvidas e os agentes realizam diligências para esclarecer os fatos", informara, em nota.