Rio não tem previsão de chegada de novas doses de vacina contra covid-19
Rio não tem previsão de chegada de novas doses de vacina contra covid-19Divulgação
Por O Dia
Rio - A previsão de chegada das vacinas para esta terça e quarta-feira feita pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes, no último domingo (14), pode não ser concretizada. Questionada, nesta terça-feira (16), pelo DIA, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) respondeu que não há informações de quando o Ministério da Saúde enviará uma nova remessa de doses da vacina contra covid-19. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que aguarda novas remessas de vacinas destinadas à primeira dose para que o calendário de vacinação seja retomado na cidade.
O governo do Rio esperava receber 297 mil vacinas da Coronavac, correspondentes a 9% das 3,3 milhões de doses adquiridas pelo Governo Federal do Instituto Butantan, na última segunda-feira (15), mas o envio não foi realizado. Outro lote com mais 180 mil doses era esperado para quarta-feira (17). No entanto, a SES não recebeu a confirmação dessa chegada com o Ministério da Saúde. O secretário estadual de Saúde do Rio, Carlos Alberto Chaves, disse que vai distribuir as vacinas assim que receber o novo lote do Ministério da Saúde.
Publicidade
No município do Rio, o calendário de vacinação chegou a ser interrompido por falta de vacinas na última quinta-feira (11). A cidade do Rio abriria, esta semana, a imunização para pessoas de 75 e 74 anos. Segundo informações da SMS, na segunda-feira, houve uma falta de doses em algumas unidades de saúde, mas todas já foram reabastecidas, após a liberação de 76 mil doses pelo depósito da SES. Nesta terça-feira, o município segue vacinando apenas a segunda dose e idosos com 76 anos ou mais.
O prefeito Eduardo Paes disse, no domingo, que o Ministério da Saúde não apresentou justificativa para a demora na entrega de novas doses, mas a expectativa é que o “anda e para” da vacinação acabe com o aumento da capacidade da Fiocruz.
Publicidade
"Não tem vacina, né? O que o Butantan está produzindo está sendo distribuído, mas acho que a Fiocruz ainda não está com aquela capacidade mais intensa. Parece que está para aumentar, mas até que isso aconteça, nós vamos continuar com esses passos de tartaruga. Não tem jeito", comenta.
Procurado, o Ministério da Saúde ainda não se posicionou sobre o envio de novas doses da vacina para o estado do Rio.