Rosane Costa, diretora do Hospital das Clínicas de Teresópolis Constantino Ottaviano (HCTCO)
Rosane Costa, diretora do Hospital das Clínicas de Teresópolis Constantino Ottaviano (HCTCO)Reprodução Internet
Por Paula Valviesse
Teresópolis entrou no mês de março sem leitos de UTI disponíveis para pacientes com Covid-19. Com isso, o município está contando com a regulação estadual para que os pacientes consigam internação em outras cidades. Diante deste cenário, a Prefeitura publicou um vídeo no qual a diretora do Hospital das Clínicas de Teresópolis Constantino Ottaviano (HCTCO), Rosane Costa, faz um apelo para que a população se responsabilize e faça sua parte no enfrentamento à pandemia, usando máscaras, higienizando as mãos, usando álcool gel e, principalmente, evitando aglomerações.

Segundo Rosane, a situação do município é crítica e já estava assim antes mesmo da confirmação do caso de contágio pela nova variante da Covid-19, que foi confirmado pelo Gabinete de Crise neste sábado (6/03), estando Teresópolis sofrendo com as aglomerações que ocorreram no período do Carnaval. De acordo com a diretora do HCTCO, a falta de leitos de UTIs não é só na rede pública, ela afeta também pacientes com plano de saúde.

“A cidade vive um momento muito difícil, isso que a gente está vivendo hoje é um reflexo do carnaval, apesar de não ter tido carnaval, mas teve o feriado. Então é um reflexo de 15 dias atrás. Estamos com a UTI lotada, não temos vaga e estamos contando com a regulação estadual; As pessoas de teresópolis que precisam de leito de UTI precisam ser transferidas da cidade”, diz Rosane.

A profissional comenta ainda sobre a vacinação, lembrando que o município segue imunizando os idosos, mas que são poucas doses que tem chegado para a cidade. Enquanto a imunidade desejada não é alcançada, ela faz um apelo para que as pessoas continuem com as medidas preventivas.

“Venho pedir para que cada um assuma seu lugar, tenha responsabilidade no enfrentamento à Covid. Não são só os profissionais de Saúde, o hospital, o Poder Público que têm essa responsabilidade, cada um de nós enquanto cidadãos temos essa responsabilidade", afirma Rosane, complementando que a atitude das pessoas precisa mudar para que o município combata de forma eficiente essa pandemia: “As pessoas estão morrendo, famílias estão sendo destruídas. Parece que as pessoas precisam que isso chegue perto de suas casas, suas residências para entender”.
Você pode gostar
Comentários