Geral - Movimentaçao nas praias da zona sul do Rio de Janeiro, na manha de hoje. Na foto, Praia de Copacabana, proximo ao posto 6.
Geral - Movimentaçao nas praias da zona sul do Rio de Janeiro, na manha de hoje. Na foto, Praia de Copacabana, proximo ao posto 6.Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Por MH
O domingo de Páscoa foi marcado pelo desrespeito dos cariocas às medidas restritivas de permanência nas praias, medida que teve como principal objetivo conter a curva de contágio do novo coronavírus no Rio de Janeiro. O MEIA HORA circulou entre Flamengo e Copacabana, onde flagrou uma intensa movimentação de banhistas. Pelo decreto estadual, é proibido ficar na faixa de areia e tomar banho de mar. Está liberado somente a prática individual nas areais.
No Flamengo, apesar de poucas pessoas na orla, as pessoas preferiram praticar exercícios e bater uma bola próxima à água. O problema maior começou a partir de Copacabana. Além de muita gente na areia, ainda deu para perceber uma grande quantidade de banhistas na água. No calçadão, algumas pessoas circularam sem o uso da máscara de proteção facial.
Publicidade
A reportagem também avistou agentes da Guarda Municipal em toda a orla, mas em nenhum momento foi visto algum tipo de ação para retirar ou inibir a permanência dos banhistas nas praias. 
No último sábado, o estado do Rio publicou um novo decreto com medidas de restrições sociais para o combate da disseminação da doença. A regras entram em vigor nesta próxima segunda-feira e valem até o dia 12. As medidas municipais mais duras prevalecerão sobre as do decreto. Na capital, por exemplo, a permanência nas praias continua proibida, enquanto que no estadual do último sábado, ela não foi citada.
Publicidade