Chapéu-Mangueira é mais uma comunidade com UPP a ser palco de tiroteio

Policiais militares foram deslocados para comunidade após disparos serem ouvidos na região

Por O Dia

Chapéu Mangueira, no Leme
Chapéu Mangueira, no Leme -

Rio - Moradores relataram um intenso tiroteio no Chapéu-Mangueira, no Leme, na Zona Sul do Rio, nesta terça-feira. A comunidade é a quarta da cidade com Unidade de Polícia Pacificadora a ser palco de confronto somente nesta manhã. Segundo a Polícia Militar, homens da UPP Babilônia/Chapéu Mangueira foram deslocados para reforçar o patrulhamento no local após os disparos. Até o momento, não há presos ou apreensões

"Eu ouvi tudo. Parecia dentro de casa", escreveu uma moradora sobre a troca de tiros nas redes sociais. "Tiro comendo solto", exclamou outro.

Mais cedo, a Polícia Militar realizou operações no Tabajaras, em Copacabana, e no Santa Marta, em Botafogo, também na Zona Sul da cidade. Por sua vez, uma ação para a retirada da UPP de São Carlos, no Centro do Rio, foi realizada no início da manhã após longa reivindicação da tropa que atuava no local. Em todas as comunidades houve relatos de trocas de tiros.

Segundo o porta-voz da PM, Ivan Blaz, as ações foram possíveis devido ao apoio da Intervenção Federal na Segurança Pública, que prevê a extinção de outras.

"Temos um planejamento (para o fechamento de algumas UPPs) e a janela de oportunidade foi a Intervenção para que pudéssemos fazer essas modificações. Por enquanto, três UPPs foram transformadas em Companhias Destacadas, recolocando seu efetivo em batalhões ou outras unidades", disse, reforçando que há alguns anos a Polícia Militar preparou uma análise sobre a situação das Unidades de Polícia Pacificadora, que mostrou a necessidade de realinhamento das ações nelas.

Sobre as demais ações da PM no Tabajaras e Botafogo, Blaz afirma que elas também fazem parte do realinhamento das UPPs, e que a situação nas comunidades no momento está controlada.

"No Dona Marta estamos tendo uma ação de combate à criminosos que tem se instalado, principalmente, nas estações três e quatro do plano inclinado. Ali é uma ação operacional. Estamos também com uma operação de reforço de efetivo no Morro dos Tabajaras, onde estamos colocando uma base blindada na Rua Sacopã — no alto da comunidade. Esse movimento das tropas gerou conflitos nesta manhã, mas, neste momento, a situação de lá é estável", afirmou.

Últimas de Rio de Janeiro