Câmara aprova abertura do processo de impeachment contra Crivella

Prefeito terá 10 dias para apresentar sua defesa, após a publicação da admissibilidade no Diário Oficial

Por Maria Luisa de Melo

02/04/2019 - AGÊNCIA DE NOTICIAS - PARCEIRO- A Câmara Municipal do Rio vota nesta terça-feira (02) se abre mais um pedido de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella, o segundo em menos de uma semana. Foto:Onofre Veras/Parceiro/Agência O Dia
02/04/2019 - AGÊNCIA DE NOTICIAS - PARCEIRO- A Câmara Municipal do Rio vota nesta terça-feira (02) se abre mais um pedido de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella, o segundo em menos de uma semana. Foto:Onofre Veras/Parceiro/Agência O Dia -

Rio -  A Câmara de Vereadores aprovou, nesta terça-feira, com 35 votos a favor, a abertura do processo de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella (PRB). O requerimento de cassação foi protocolado pelo fiscal da Secretaria Municipal de Fazenda, Fernando Lyra Reys – que acusa crime de responsabilidade de Crivella ao favorecer as empresas OOH Clear Channel e JCDecaux durante renovação de contratos de mobiliários urbanos, em dezembro de 2018.

Com a aprovação do pedido, uma comissão processante foi formada com três vereados sorteados que estiveram presentes na votação. Foram sorteados Luiz Carlos Ramos Filho (PTN), Paulo Messina (PROS) e Willian Coelho (MDB). Willian Coelho foi escolhido presidente e Luiz Carlos relator.

Após a publicação da admissibilidade no Diário Oficial, o prefeito Marcelo Crivella terá 10 dias para apresentar sua defesa. A comissão tem até 90 dias para apresentar um relatório, que será votado também na Câmara do Rio.

Caso seja aprovado, o relatório pode determinar o afastamento de Crivella do mandato. Caso contrário, o pedido de impeachment é arquivado. Até a votação do relatório, ele continua no cargo.

Discussão na Câmara

Com as galerias cheias, dos 51 vereadores da Câmara, 49 estavam presentes. Era necessária apenas maioria simples para a aprovação. O primeiro a discursar, antes do voto, foi o vereador Jairinho (MDB), que classificou a denúncia como inoportuna. "Nos momentos difíceis 'não é momento de condenações prévias'. É o momento de afago", disse.

Fernando William (PDT) apontou que a ilegalidade cometida pelo prefeito provocou prejuízo de quase 30 milhões aos cofres públicos e, ao ser interrompido diversas vezes por correligionários de Crivella, que acompanharam a votação, apontou para uma das visitantes e bradou: "Jaqueline te conheço". Com dedo em riste, acrescentou: "Safadona, picareta!!!".

Defesa nas redes sociais

Horas após a abertura do processo de impeachment, o prefeito Marcelo Crivella usou suas redes sociais para atacar Fernando Lyra Reis, autor do requerimento. "Foi aberto um processo contra mim e eu quero assegurar que não faz o menor sentido. É a respeito de propaganda nas ruas. Houve a denuncia de um ex-funcionário da prefeitura e, só agora, depois de ser exonerado, resolveu entrar com o pedido de impeachment". Confira o vídeo completo:

 

 

Comentários