Militares envolvidos nas mortes de músico e catador são soltos

Nove dos 12 agentes que participaram do episódio estavam presos na Vila Militar

Por O Dia

Carro do músico Evaldo Rosa foi alvejado por mais de 80 tiros
Carro do músico Evaldo Rosa foi alvejado por mais de 80 tiros -
Rio - Os nove militares que estavam presos por envolvimento na morte do músico Evaldo dos Santos Rosa e do catador de materiais recicláveis Luciano Macedo foram soltos na manhã desta sexta-feira. Eles deixaram o 1º Batalhão de Infantaria Motorizado do Exército (Regimento Sampaio), onde são lotados e estavam presos, na Vila Militar, na Zona Oeste do Rio, por volta das 9h.
Na noite de ontem, o Superior Tribunal Militar (STM), em Brasília, decidiu conceder liberdade a eles, que participaram da ação no dia 7 de abril, em Guadalupe, na Zona Norte. Os outros três militares envolvidos no caso já haviam sido libertados por ordem da Justiça e respondem ao processo em liberdade.
"A defesa confiava e explorava essa decisão (de liberdade). Para a defesa, essa é a correta decisão do caso. Agora, vamos aguardar o desenrolar do processo, onde vamos ter a oportunidade de ver os requerimentos do Ministério Público Militar", afirma o advogado dos militares, Paulo Henrique Melo.
De acordo com o Comando Militar do Leste (CML), a partir de agora, os militares irão cumprir tarefas internas e não participarão de operações e nem atividades que envolvam uso de armas.
Julgamento do habeas corpus dos militares aconteceu nesta quinta - Divulgação / STM
O EPISÓDIO
O músico seguia com a família para um chá de bebê quando o seu carro foi alvejado por mais de 80 tiros disparados por um grupamento militar que, supostamente, teria confundido o veículo com o de bandidos. Segundo laudos técnicos, foram disparados 257 tiros na ação.

Evaldo morreu na hora, mas seus parentes conseguiram escapar. Luciano, que estava nas proximidades e tentou ajudar a família, acabou sendo também baleado e morreu dias depois. Os militares respondem por homicídio qualificado, tentativa de homicídio qualificado e omissão de socorro.
O caso aconteceu no último dia 7 de abril - Reprodução / Internet
O HABEAS CORPUS

O STM é formado por 15 ministros: quatro do Exército, três da Marinha, três da Aeronáutica e cinco civis. O presidente do Tribunal só vota em caso de empate. Isso não foi necessário neste caso. Apenas a ministra Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha, a única mulher na corte, votou pela manutenção da prisão dos nove militares.

Em seu voto, ela afirmou: "Quando um negro pobre no subúrbio do Rio de Janeiro é confundido com um assaltante, tenho dúvidas se o mesmo ocorreria com um loiro em Ipanema, vestindo uma camisa Hugo Boss".
Com informações do Estadão Conteúdo

Galeria de Fotos

Carro do músico Evaldo Rosa foi alvejado por mais de 80 tiros Reprodução / Internet
O caso aconteceu no último dia 7 de abril Reprodução / Internet
Julgamento do habeas corpus dos militares aconteceu nesta quinta Divulgação / STM

Comentários