Rennan da Penha passa dias ouvindo rádio e não quer mais tocar em baile, diz namorada

Preso no Complexo de Gericinó, DJ está repensando a vida e não pensa em abandonar carreira, conta Lorenna Vieira

Por Beatriz Perez

Lorenna Vieira, 20, e Rennan da Penha, 25, juntos desde 2017
Lorenna Vieira, 20, e Rennan da Penha, 25, juntos desde 2017 -
Rio - Renan dos Santos, o DJ Rennan da Penha, 25 anos, passa os dias ouvindo rádio e desenhando na penitenciária Bandeira Stampa, conhecida como Bangu 9, no Complexo de Gericinó, onde está preso. “Ele ora bastante. Eu peço para ele orar sempre pelo que ele quer. E ouve a JBFM, que ele ama, no rádio de pilha. Renan também desenha, um grande dom, que acho que ninguém sabia”, conta a namorada do artista, Lorenna Vieira.

A jovem de 20 anos morava com o DJ em uma casa na Penha, Zona Norte do Rio, até ele se entregar à polícia no dia 24 de abril, na 37ª DP, Ilha do Governador, Zona Norte do Rio. Ela já foi visitá-lo quatro vezes.

Galeria de Fotos

Rennan da Penha passa os dias desenhando na prisão Arquivo pessoal
Rennan da Penha passa os dias desenhando na prisão Arquivo pessoal
Lorena Vieira e Rennan da Penha moravam juntos em um imóvel na Penha, Zona Norte do Rio Arquivo Pessoal
Lorena Vieira e Rennan da Penha Arquivo Pessoal
Fotos e vídeos íntimos do casal compartilhados nas redes Arquivo Pessoal
Lorenna Vieira, 20, e Rennan da Penha, 25, juntos desde 2017 Arquivo Pessoal


No Instagram, ela compartilha com seus 174 mil seguidores lembranças do casal em seus stories. São fotos e vídeos antigos do casal apaixonado em cenas íntimas, no quarto ou mesmo fora do país. "Ele é muito caseiro e grudento. Se tivesse todo mundo resenhando na sala e ele quisesse deitar, sempre queria que eu fosse. Ficava grudado comigo. Faz muita falta”, conta a jovem que passou a tomar remédios para dormir depois da separação forçada. “Agora que posso visitá-lo, fiquei um pouco melhor porque sei que vou vê-lo no fim de semana”, diz.
O plano do casal de viajar em turnê pela Europa e de se mudar para a 'casa dos sonhos' foi interrompido depois que Rennan foi condenado pela 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio a seis anos e oito meses de prisão apontado como 'olheiro' e acusado de organizar o Baile da Gaiola, que acontecia no Complexo da Penha, para beneficiar a atividade criminosa.

Rennan já havia sido preso neste processo em 2016 e, em seguida, absolvido na primeira instância por falta de provas. O Ministério Público entrou com recurso e a sentença foi revertida no Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) no dia 20 de março.
Dessa vez, Renan está mais triste e indignado na prisão, conta Lorenna. “Ele tá repensando e não quer mais ficar por aqui (Penha). Ele não precisava mais fazer o baile. Fazia porque se sentia em casa, gostava e encontrava os amigos. Mas, apesar de ser a raiz dele, não quer mais (tocar). Tenho certeza que vão continuar querendo prejudicá-lo. Ele tem que seguir”, conta.

“Ele tá repensando e não quer não mais ficar por aqui (Penha). Ele não precisava mais fazer o baile. Fazia porque se sentia em casa, gostava e encontrava os amigos. Mas, apesar de ser a raiz dele, não quer mais (tocar). Tenho certeza que vão continuar querendo prejudicá-lo. Ele tem que seguir”, conta. 

Se Rennan está repensando a vida e as amizades, Lorenna garante que a carreira de DJ não será abandonada: “Ele quer continuar com o sonho dele. Está abrindo os olhos para um mundo lá na frente”. 
Uma reportagem exibida pelo Fantástico, da TV Globo, em abril, mostrou imagens de uma investigação policial gravadas no fim de 2018, nas quais aparecem homens armados e Rennan cumprimentando um homem suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio. As imagens da polícia são gravadas durante o Baile da Gaiola e não se referem ao processo pelo qual Rennan foi condenado, mas a outra investigação sobre o tráfico de drogas na região.
Imagens divulgadas pelo Fantástico mostram Rennn da Penha cumprimentando homem apontado como traficante do Complexo da Penha - Reprodução/ TV Globo
Lorenna diz que o companheiro não se arrepende de ter cumprimentado ninguém no baile. "Ele não se arrepende de nada sobre o processo porque nunca esteve associado ao tráfico. Uma pergunta que eu faço: o que eles querem de uma pessoa que cresceu ali, sem muitas oportunidades com os amigos de infância? Por que ele iria passar sem cumprimentar? Acho que ele não está arrependido de ter cumprimentado ninguém não”, diz.

As amizades que o músico revê são as de personalidades do funk. "O que ele repensa são as amizades que agora o abandonaram. Os fãs são maravilhosos. Os funkeiros nem tanto. Mas, ele não se incomoda. Prefere pensar nos fãs que o amam e dão todo apoio sempre", revela.
A defesa do DJ aguarda o julgamento do recurso do pedido de habeas corpus no STF, negado monocraticamente pela ministra Rosa Weber. Na decisão, a ministra justificou que a prisão não violava os princípios constitucionais, já que Rennan foi condenado em segunda instância. Apesar disso, o DJ e a família estão otimistas de que ele deixará a prisão. “Todos nós esperamos que ele possa estar na rua em breve. A gente só conversa sobre nossos sonhos”, diz.

Comentários